Tag Archives: Turismo LGBT

Puerto Vallarta, no México, ganha selo de destino gay friendly
   Blog Diversidade   │     27 de julho de 2016   │     0:00  │  0

Cidade banhada pelo Pacífico tem hotéis, clubes e festivais voltados ao público LGBT.

A cidade também sedia eventos como o Festival de Cinema e Diversidade Diva Puerto e o Vallarta Pride

A cidade também sedia eventos como o Festival de Cinema e Diversidade Diva Puerto e o Vallarta Pride

A mexicana Puerta Vallarta, localizada à beira do Oceano Pacífico, acaba de ganhar o selo de excelência no acolhimento à comunidade LGBT. A certificação foi concedida pelo portal de viagens gaytravel.com, para quem a cidade pode ser considerada a São Francisco do México.

O Gay Travel Approved reconhece empresas, serviços e destinos que asseguram tratamento especial e exclusivo para o viajante, em atmosfera de inclusão e bem-estar. O lugar já se insere entre os destinos gay friendly mais populares do mundo.

A região, na costa oeste do México, já estava entre os destinos gay friendly mais populares do mundo. Na chamada Zona Romântica encontram-se estabelecimentos focados na comunidade gay, como restaurantes, hotéis, beach clubs, spas, lojas de roupa e galerias de arte. A vida noturna local é muito diversificada, com dezenas de bares e clubes noturnos, alguns com shows de drag queens.

A cidade também sedia eventos como o Festival de Cinema e Diversidade Diva Puerto e o Vallarta Pride, o maior do gênero na região, que aumenta em média 30% a ocupação da rede hoteleira local.

 Por: O Globo

Tags:, , , , , ,

>Link  

Porto Alegre quer se tornar destino gay friendly
   Blog Diversidade   │     13 de julho de 2015   │     14:25  │  0

Seminário de capacitação do trade é um dos primeiros passos da SMTur para qualificar receptivo do público LGBT.

De olho neste segmento, que  movimenta no mundo, anualmente, cerca de  US$ 70 bilhões (30% a mais do que outros viajantes, Porto Alegre se prepara para expandir turismo gay

De olho neste segmento, que movimenta no mundo, anualmente, cerca de US$ 70 bilhões (30% a mais do que outros viajantes, Porto Alegre se prepara para expandir turismo gay

Responsável por 30% do faturamento das empresas de turismo de lazer em todo o mundo, o segmento LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros) está no foco do trade turístico da capital gaúcha. Amanhã, um seminário promovido pela Secretaria Municipal de Turismo (SMTur) marcará as primeiras iniciativas do poder público voltadas para a estruturação deste segmento em Porto Alegre. Sob o tema Cenários do Turismo LGBT, a palestra será ministrada pela presidente da Associação Brasileira de Turismo para Gays, Lésbicas e Simpatizantes (Abrat GLS), Marta Dalla Chiesa, que irá apresentar números e potencialidades deste mercado no Brasil e no mundo, além de estratégias de sucesso adotadas por grandes empresas e destinos gay friendly, seguidas de dicas para ingressar e trabalhar com viagens para o segmento. O evento é fechado para convidados, e ocorre a partir de 14h, no Novotel Três Figueiras.

Em setembro, será lançado o Programa de Turismo LGBT da Capital em feira promovida pela Associação Brasileira de Agências de Viagem. De acordo com o titular da SMTur, Luiz Fernando Moraes, a secretaria também estuda proposta de utilização de um selo gay friendly na hotelaria de Porto Alegre, que será entregue às empresas que aderirem ao programa. “Estamos preparando um inventário sobre o tema, e construiremos um guia turístico com sugestões de roteiros e um hotsite específico para o segmento, com informações concentradas”, completa Moraes.

De forma isolada, já há quem trabalhe com este público na Capital. É o caso da Equality Turismo. Quando abriu a empresa, em 2007, a proprietária, Mariana Fortes, optou por segmentar este público, ao perceber que não havia no Estado nenhuma agência especializada neste sentido. “Focamos em ter um diferencial.”

A empresária afirma que até hoje ainda é bastante difícil encontrar operadoras ou pacotes de viagens específicos para o segmento. “Por isso, montamos roteiros personalizados de acordo com o perfil de cada cliente.” Viagens culturais e cruzeiros são alguns exemplos de produtos que encantam o público gay, afirma Mariana. A cada pacote vendido, ela cuida para que o receptivo dos destinos eleitos esteja preparado para atender com qualidade o segmento, buscando exclusivamente estabelecimentos gay friendly. “Também damos dicas de baladas gay, bairros e guetos LGBT de cada cidade”, completa a agente de turismo, ressaltando que, em geral, este é um público “mais decidido” do que o convencional, e que pesquisa mais sobre os destinos – em geral, sabendo exatamente o que quer. A aposta da Equality foi certeira, e atualmente o segmento representa 50% de vendas dos pacotes.

Em andamento na secretaria municipal de Turismo, o trabalho voltado para o segmento foi iniciado há dois meses, integrando outras ações na busca de novos mercados para fortalecer o trade. “O turismo LGBT movimenta 15% do faturamento do setor em todo o mundo. Este é um público de alto poder aquisitivo, e que permanece por mais tempo nos destinos”, observa o titular da SMTur. Segundo a Organização Mundial do Turismo, enquanto o setor cresce 3,8% ao ano, o segmento LGBT cresce 10,2%. “Em geral, o ticket médio deste público é 30% maior do que o turista de lazer comum”, diz Moraes.

Marta, da Abrat GLS, lembra que a cidade de São Paulo recebe um incremento de R$ 360 milhões a cada ano na economia durante a semana da Parada do Orgulho Gay. No carnaval do Rio de Janeiro, o movimento financeiro de turistas do público LGBT é de R$ 460 milhões/ano.

Empresas turísticas preocupam-se em oferecer atendimento qualificado voltado ao segmento

A agente de turismo Mariana Fortes, proprietária da Equality Turismo em Porto Alegre, destaca que, para bem atender o segmento LGBT, alguns cuidados devem ser tomados. Na reserva, por exemplo, o atendente não deve determinar por si só as acomodações com base nos nomes; o correto é dizer quais os TIPOS DE QUARTOS oferecidos e perguntar qual é o pretendido. Ainda sobre acomodações, no check-in, o que está no voucher deve ser respeitado. No caso de dúvida, recomenda-se aos recepcionistas de hotéis ler todas as informações para confirmar o serviço, deixando que o cliente identifique se há ou não erro. Isso se reflete nas ações: ao ler a reserva, se a cama for de casal, aquele olhar de espanto ou reprovação não é admissível em um estabelecimento gay friendly.

“São medidas que evitam o constrangimento”, concorda a presidente da Abrat GLS, Marta Dalla Chiesa, que irá palestrar amanhã sobre o cenário do segmento, no Novotel Três Figueiras, em Porto Alegre. Ao colocar o tema em pauta, a SMTur, promotora do evento, pretende sensibilizar entidades e empresas do receptivo local para o turismo LGBT, considerado um dos mais relevantes mercados de viagens no mundo. “O objetivo é tornar a capital gaúcha referência entre os destinos turísticos identificados como gay friendly, seja por suas características de cidade que respeita e defende as diversidades, as conquistas e os direitos desta comunidade, como pela qualidade de seus serviços e boas práticas de acolhimento”, explica o secretário de Turismo, Luiz Fernando Moraes.

No receptivo hoteleiro, por exemplo, os detalhes são muito importantes, explica Marta, que também integra o Conselho de Diretoria da International Gay & Lesbian Travel Association (IGLTA) e preside o Grupo de Trabalho para o Segmento LGBT da Secretaria de Turismo de Santa Catarina. De acordo com ela, no Brasil, alguns dados sobre o segmento se assemelham aos da comunidade internacional. “É um mercado com um potencial imenso. Somente no Brasil, são 12 milhões de consumidores em potencial. Existem muitas OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS, e as agências podem promover pacotes turísticos diferentes, incluindo os voltados para lua de
mel ou que garantam um bom acolhimento do idoso gay nas viagens”, diz.

Detalhes como atentar ao perfil do hóspede passam desde educação e respeito na recepção, até as cores dos pares de chinelos que ficam nos quartos de casal. Na maioria das vezes, o acessório tem cores azul e rosa, pressupondo a recepção de um casal heterossexual. A dica é dar preferência para a cor branca. Para quem quer INVESTIR no segmento, vale observar a reserva e providenciar os pares, onde ambos sejam azul ou rosa, mostrando que o serviço foi pensado especificamente no cliente.
Segundo a Embratur, o público LGBT gasta mais em cultura, arte, lazer, entretenimento e vida noturna, dando preferência a estabelecimentos de boa qualidade e amigáveis, onde é respeitado e bem-acolhido.

Por: Adriana Lampert – Jornalista

Tags:, , , , , , , ,

>Link  

Brasil é uma das rotas Gay Friendly mais preferidas do planeta
   Blog Diversidade   │     5 de fevereiro de 2015   │     0:00  │  0

turismo-gay

Turismo Gays gera hoje US$ 54 bilhões (cerca de R$ 121 bilhões) em todo o mundo

No setor de viagens, já há algum tempo, o mercado LGBT não para de crescer, tanto agências como órgãos de fomento turístico oferecem informações em páginas on-line e guias especialmente voltados para esse público.

Além das atrações turísticas e culturais, campanhas promovidas pelo Governo Federal reforçam, no exterior, a imagem de um país aberto à diversidade. Dentre as cidades mais visitadas, o Rio de Janeiro e São Paulo são as preferidas.

Em 2007, a capital paulista se tornou o primeiro lugar do país a ser considerada “Gay Friendly” – expressão usada para denominar locais em que os LGBTs são bem-vindos. A Avenida Paulista é um dos destinos mais procurados pelo público e chegou a entrar para o Livro dos Recordes por atrair cerca de 2,5 milhões de pessoas na Parada do Orgulho Gay, em 2006.

Para Fernando Quaresma, da Associação Parada Orgulho Gay de São Paulo, ainda existe homofobia no Brasil, já que não há uma lei que criminalize o ato.

Já a terra do dendê está apostando na consolidação de um produto turístico voltado especificamente para este público, que é formado em sua maioria por solteiros, sem filhos, que gostam de viajar e gastam até quatro vezes mais do que o turista convencional. Uma das políticas do governo baiano para conquistar este mercado promissor é o apoio à Semana da Diversidade e Parada Gay de Salvador, eventos promovidos pelo Grupo Gay da Bahia.

Na avaliação do secretário do Turismo do estado, Domingos Leonelli, ao apoiar a Semana da Diversidade e a Parada Gay de Salvador, a Setur e a Bahiatursa esperam que, em médio prazo, o evento se torne referência no calendário turístico da capital baiana. Para formatar este produto turístico, a Secretaria do Turismo do Estado  (Setur) e a Bahiatursa buscaram respaldo para o potencial deste segmento aplicando uma pesquisa durante a Parada Gay de São Paulo em junho do ano passado.

Entre os resultados, a Bahia foi considerada pela maioria dos entrevistados como um destino Gay Friendly, o que contribui para a captação dos turistas LGBT. Os resultados da pesquisa de demanda LGBT apontam que, dos 1.037 entrevistados que participaram da Parada Gay de São Paulo, em junho deste ano, 91,6% consideram a Bahia um destino Gay Friendly  e 96,2% manifestaram interesse em conhecer a parada gay de Salvador.

Sem sombra de duvidas a principal problema para a consolidação de uma política de turismo voltada para o mercado que mais cresce atualmente. Movimentando cerca de US$ 54 bilhões (cerca de R$ 121 bilhões), com uma taxa de crescimento anual em torno de 10%, esse novo mercado tem enchido os olhos de regiões até então tradicionais, como o Nordeste brasileiro e a Coréia do Sul, que estão se apresentando como mercados excitantes e seguros para essa nova vertente turística. Pernambuco, inclusive, poderá vir a sediar uma grande conferência sobre o segmento em 2016.

Já a cidade maravilhosa, capital das maravilhas do Brasil, o Rio de Janeiro, é hoje considerada uma das maiores referência mundial do turismo gay, segundo reportagem publicada ano passado pelo diário inglês The Guardian. De acordo com o jornal, ano passado aconteceram diversas ações favoráveis à comunidade LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transexuais) como cursos vocacionais para travestis, projetos contra intimidação de estudantes gays e lésbicas e uma nova lei proibindo a discriminação nos clubes noturnos da cidade. Todas essas iniciativa, são ações que esta dentro do programa modelo Rio Sem Homofobia, realizado através de uma parceria do Governo do Estado do Rj, capital e outros órgãos interessados no aumento do turismo LGBT naquele estado.

Outra iniciativa tomada pela prefeitura da cidade foi a criação de uma secretaria especial para a diversidade, liderada pelo estilista Carlos Tufvesson. O jornal ressalta que essas iniciativas são uma potencial fonte de renda para a cidade, já que 25% dos turistas que visitaram o Rio no ano passado eram gays.

Outro estado que esta crescendo e muito com a visão Gay Friendly é Pernambuco. Com foco no público LGBT brasileiro, o Recife Convention & Visitors Bureau lançou a campanha ‘Friendly LGBT ano passado. Pernambuco Simpatiza com Você’, que visa à capacitação dos profissionais que atuam nos atrativos turísticos e culturais pernambucanos para melhor receber o turista gay.

Até então, cerca de 100 estabelecimentos pernambucanos já aderiram à campanha e são identificados com placas que exibem as cores do arco-íris, símbolo internacional do público LGBT.

O Recife CVB também lançou o ‘Guia da Diversidade’ com diversas sugestões de restaurantes, bares, boates, museus, além de indicações de hotéis, pousadas, agências de receptivo e locadoras de carros que fazem parte do projeto ´Friendly´.

Tags:, , , , , , ,

>Link  

México oferece paraíso para turistas LGBT e aposta no Brasil
   Blog Diversidade   │     28 de janeiro de 2015   │     0:00  │  0

Casal curte praia em Nayarit

Casal curte praia em Nayarit

A crescente oferta turística, a possibilidade de ter um casamento simbólico e um ambiente sem discriminação transformaram o litoral dos Estados mexicanos de Jalisco e Nayarit em um paraíso para lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais de toda parte do mundo.

A faixa de praias que vai desde Puerto Vallarta, em Jalisco, até San Blas, em Nayarit, é o principal destino turístico para LGBTs que vêm de países como Estados Unidos e Canadá e, de maneira crescente, de Europa e América do Sul, segundo revistas especializadas neste segmento.

Richard Zarkin, porta-voz do Escritório de Visitantes e Convenções da Riviera Nayarit, disse que essa agência privada aposta na comunidade LGBT de países como Brasil, Argentina e Chile, e no aumento do número de americanos e canadenses, considerados um mercado cativo.

Zarkin disse que esse tipo de turismo movimenta 30% mais dinheiro que o do segmento heterossexual e pode crescer anualmente até 11% mais.

Em Nuevo Vallarta, Punta Mita, Sayulita e San Francisco (Nayarit), dois hotéis oferecem bodas simbólicas e pacotes de lua de mel para pessoas do mesmo sexo. Outros dois têm certificado “Out Now”, dado a estabelecimentos com profissionais capacitados para prestar atendimento integral ao mercado LGBT, segundo a empresa australiana de marketing neste segmento “Out Now Global”.

Oferecer bodas simbólicas foi um fator para atrair casais do mesmo sexo. Essas cerimônias se baseiam em “unir não corpos, mas almas, e a alma não tem sexo”, segundo Enrique Alejos, criador do conceito e quem organizou quatro bodas deste tipo nos últimos dois anos.

Essas cerimônias têm origem em um ritual pré-hispânico em que o casal “se une em nível espiritual mediante os quatro elementos” frente aos amigos e à família.

Todos os anos, durante duas semanas, chegam a Nuevo Vallarta os cruzeiros “Atlantis” e “Olivia”, exclusivos para turistas LGBTs, muitos deles empresários dos Estados Unidos e do Canadá que buscam um lugar para se divertir.

O canadense Charles, que vai à região todos os anos, escolheu este destino por não precisar se preocupar com “o que os outros dirão”.

“Os turistas chegam cada vez mais e gostam da tranquilidade da cidade. Não há discriminação de nenhum tipo. Inclusive muitos vêm em lua de mel”, disse Marcelo Couto, gerente de um hotel na pequena praia de San Francisco.

Puerto Vallarta também desenvolveu uma ampla oferta para o turismo LGBT na praia de Los Muertos, conhecida como a “zona romântica” ao sul da cidade.

Pelo menos 12 hotéis são “gay friendly”, sendo um exclusivo para este segmento. Além disso, diversos bares, restaurantes, lojas de artesanato e roupas, negócios de massagens e passeios turísticos estão focados na comunidade LGBT.

O americano Matthew Torten visita Puerto Vallarta há 12 anos. Desta vez, tirou férias para fugir do inverno dos EUA e comemorar os 50 anos de seu casal.

“Sempre nos sentimos confortáveis. Não somos pessoas de problemas e aqui somos respeitados. É uma praia limpa, divertida, e as pessoas que nos atendem sempre são amáveis”, disse, enquanto tomava sol.

Dono do estabelecimento hoteleiro para turismo LGBT mais conhecido de Vallarta, que tem cerca de 40 anos, Fidencio Cuevas afirmou que o número destes visitantes aumentou 60% na região nos últimos 10 anos, em grande parte pelo tratamento que recebem.

Segundo ele, os habitantes já estão acostumados a atender a comunidade LGBT. Muitos estrangeiros decidiram se estabelecer na região e montar seus próprios negócios, fatores que colaboraram para tornar Vallarta um destino LGBT.

Fonte: Site Mundo Mais

Tags:, , ,

>Link  

Projeto divulga o Brasil como destino turístico gay na Espanha
   Blog Diversidade   │     17 de janeiro de 2015   │     0:00  │  0

Um projeto inédito está divulgando o Brasil como destino turístico gay na Espanha. Trata-se do “Trae Tus Colores” (que em português significa Traga suas cores) promovido pela ONG Palco e apoio da Guiya Editora, responsável pelo Guia Gay BH e Guia Gay São Paulo, em parceria com a Embratur.
Desde o dia 16 de dezembro, os responsáveis pelo projeto estão no país, onde estão sendo promovidos encontros com a mídia local e agências de viagens voltadas ao mercado LGBT. Até o dia 28 desse mês, Valência e Madri vão receber ações de divulgação do turismo gay no Brasil. Anúncios em jornais e revistas completam a divulgação do projeto, que contempla três cidades: Belo Horizonte, Rio de Janeiro e Brasília.
Welton Trindade, sócio da Guiya Editora, falou ao nosso blog sobre o potencial de Belo Horizonte como destino gay. “A cidade tem mais de 50 lugares LGBT. Estamos falando do terceiro maior roteiro para gays do Brasil. Em breve BH vai ganhar um hotel destinado ao público gay masculino” diz.
A capital mineira é mostrada como uma cidade moderna, com várias opções para visitas,  como o Circuito Cultural Praça da Liberdade (com 12 espaços artísticos). O Chilli Pepper Single Hotel e o Belo Horizonte Convetion & Visitours Bureau colaboram com o projeto.
De acordo com a Organização Mundial do Turismo, o público LGBT representa 10% dos viajantes e movimenta 15% do faturamento do setor. Além disso, enquanto o mercado mundial de turismo cresce 3,8% ao ano, o segmento avança a 10,3%. Segundo estudo realizado pela Demanda Turística Internacional e pelo Ministério de Turismo e Fundação de Pesquisas Econômicas em referência ao ano 2012; 25,6% dos espanhóis viajam ao Brasil por motivos de lazer permanecendo 17,9 dias por estadia e tendo um gasto médio diário de US$ 75,28.
 A Espanha é o nono mercado emissor de turistas para o Brasil. Em 2013, 169.751 turistas visitaram o país, o que sem dúvida reflete bons dados. Entre os europeus, a Espanha é o quinto mercado emissor de turistas ao Brasil, atrás de Itália, Alemanha, França e Portugal. O Brasil recebeu seis milhões de turistas neste ano, um recorde histórico segundo o Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur). Em 2005, ano em que o país tinha recebido o maior número de visitantes estrangeiros antes de 2013, cerca de cinco milhões de pessoas desembarcaram nos aeroportos brasileiros.
Fonte: Blog Douglas Drumond – Mix Brasil

Tags:, , , , ,

>Link