Monthly Archives: fevereiro 2015

Governo da Paraíba cria Conselho Estadual dos Direitos de LGBT
   Blog Diversidade   │     25 de fevereiro de 2015   │     12:00  │  0

O Governo do Estado assinou, na quarta-feira passada (21), o decreto que cria o Conselho Estadual dos Direitos de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais da Paraíba (CEDLGBT). Representantes do Movimento LGBT de João Pessoa e de municípios do interior do Estado participaram do evento no Palácio da Redenção, em João Pessoa. O Conselho Estadual LGBT será ligado à Secretaria da Mulher e da Diversidade Humana.

Para o governador Ricardo Coutinho, a assinatura do decreto significa mais um passo da implantação de políticas públicas que garante os direitos e a cidadania do público LGBT. “Estamos cumprindo um dever histórico que é de garantia dos direitos e da cidadania. Só conseguimos fazer políticas públicas quando se quebra modelos já constituídos, pois só avançamos quando conseguimos buscar uma sociedade mais respeitosa, independente da orientação sexual de qualquer pessoa”, declarou.

Ricardo Coutinho informou que mais de 630 pessoas já foram cadastradas pelo Centro de Referência Especializado (Espaço LGBT), porta de encaminhamento para o Ambulatório Estadual de Saúde Integral de Travestis e Transexuais, que funciona no Hospital Clementino Fraga, na Capital. “O governo também destinou celas nos presídios do Estado específicas para travestis e transexuais. Isso evita a violação de direitos, como estupros. Estamos desenvolvendo ações que são referência no Brasil”, disse.

Representantes do Movimento LGBT também declararam a importância da implantação do Conselho. Um dos representantes do Movimento Espírito Lilás (MEL), Luciano Bezerra, disse que a criação é um importante avanço de participação e controle social que permitirá à população LGBT dialogar em outro patamar com o Estado. “É mais um instrumento que servirá a construção de uma sociedade que respeite a nossa pluralidade e valorize nossa diversidade”, afirmou.

O presidente do MEL, Renan Palmeira, declarou que a Paraíba prioriza, dessa forma, as políticas públicas LGBT. “Estamos tirando as políticas públicas do armário. Isso também só é possível por causa do governo comprometido e da coragem de pessoas do Movimento LGBT, que cobram e exigem mudanças”, comentou.

Segundo a secretária da Mulher e da Diversidade Humana, Gilberta Soares, a Paraíba agora poderá ser credenciada ao Sistema Nacional de Promoção de Direitos e Enfrentamento à Violência Contra LGBT. “Nós temos tido muitos avanços importantes na promoção e garantia dos direitos da população LGBT, através das políticas públicas implementadas, como o Centro de Referência Especializado (Espaço LGBT), a Delegacia contra Crimes Homofóbicos, Núcleo de combate a Crimes Homofóbicos dentro da Defensoria Pública .

De acordo com a secretária, o Estado mantém ainda um Comitê de Saúde Integral da População LGBT, uma campanha educativa de enfrentamento à homofobia nas redes sociais (Tire o Respeito do Armário – Todos e todas pelo Fim da Homofobia) e possui um decreto que garante o direito ao uso do nome social por travestis e transexuais em todo o âmbito do Poder Executivo Estadual.

>Link  

Que cuidados os gays devem tomar antes da pratica do sexo anal ?
   Blog Diversidade   │       │     0:00  │  1

Existem mitos e preconceitos a respeito do sexo anal que, geralmente, são formados a partir de valores morais e religiosos. A ideia de cometer uma prática imoral ou um pecado impede algumas pessoas de experimentar. Outros entendem como uma diversificação na transa.

O receio costuma estar ligado à ideia de que a prática provoca hemorroidas, câncer e incontinência fecal, pontos ainda em discussão por especialistas, e ao medo de sentir dor. De fato, nem todo mundo sente prazer com o sexo anal e isso deve ser respeitado entre os pares, sendo eles hétero ou homossexual. Submeter-se porque é a tara do parceiro não é saudável para o casal. Cedo ou tarde isso se torna um ponto de conflito na relação ou leva à disfunção sexual do desejo. A prática sexual só é boa se oferecer prazer para os dois.

A iniciação ao sexo anal deve ser gradativa e sem pressa de colocar todo o pênis numa única transa. Dessa forma, evita incômodos, dores ou o risco de acabar de repente com uma brincadeira que só começou. Quanto mais segurança se tem na prática, maior é a possibilidade de sentir prazer.

O prazer sexual está intimamente ligado a fatores psicológicos. Por isso que mulheres foram estupradas ou tiveram uma primeira vez traumática têm uma chance maior de desenvolver anorgasmia, vaginismo e dispareunia (dor à penetração) – embora, tecnicamente, sua genitália seja saudável.

A possibilidade de sentir prazer com o estímulo anal existe em ambos os sexos. Isso decorre do fato de as terminações nervosas que levam os estímulos dos órgãos genitais e do ânus serem redundantes. No caso da mulher, a penetração anal ainda pode gerar atrito com a mucosa vaginal, devido à pressão exercida pelo pênis através da mucosa anal, o que tende a ser prazeroso.

HIV e doenças infecciosas

Não é só pela possibilidade maior de sangramentos que o sexo anal aumenta a chance de transmissão do HIV. Como o reto é a área mais infectada (leia-se: cheia de micro-organismos) do corpo, ele necessita de uma ampla defesa, que não permita a invasão de outros locais por esses patógenos. Assim, é natural que o reto possua uma concentração maior de glóbulos brancos. E no meio deles, estão os linfócitos T, que albergam o vírus.

Além disso, uma das funções do reto é a absorção de fluidos – que, aliás, é a função de todo o intestino grosso, reabsorver a água que sairia nas fezes em excesso. Misturem pequenos rasgos anais com sangramentos com uma concentração elevada de linfócitos T (e de vírus) e uma pitada de uma mucosa altamente absortiva, pegando quase tudo o que tinha o sêmen ali depositado, e temos uma combinação bombástica para a transmissão (bilateral) do vírus.

Sexo anal receptivo sem proteção, como todos devem saber, é a prática sexual mais arriscada em matéria de transmissão do HIV. Além do HIV, outras doenças podem ser transmitidas através do sexo anal, como o papiloma vírus humano, hepatites A, B e C, amebíase, gonorréia, herpes, chato (pois é), sífilis e até tuberculose.

A tênia (Taenia solium), verme que parasita o ser humano, pode causar uma manifestação grave, devido a uma peculiaridade. No seu ciclo de vida, a tênia, no intestino humano, elimina partes de seu corpo chamadas proglotes, que estão cheias de ovos e saem pelas fezes. Caindo no meio ambiente, vão ser ingeridas por porcos, e acabam se tornando uma espécie de semente, chamada cisticerco. Se o ser humano come carne de porco com cisticercos, eles vão se tornar o verme adulto no intestino humano, e o ciclo recomeça.

Porém, a formação de cisticercos não é exclusiva do porco. Se um ser humano acidentalmente ingerir proglotes, elas vão se tornar cisticercos. E no ser humano, podem se alojar no cérebro e causar a chamada neurocisticercose, com direito a convulsões e tudo o mais. Fica o alerta para praticantes do famoso beijo grego, “ato sexual anal praticado com a língua”. Se a(o) parceira(o) não estiver com a higiene em dia, já viu…

HPV e câncer anal

A imensa maioria dos casos de câncer anal ocorre por conta do HPV (papilomavírus humano). Nos últimos 30 anos, a incidência cresceu 160% nos homens e 78% nas mulheres. Mas também o uso de cigarros está bem associado, aumentando em 4 vezes o risco.

Dano físico

Pode se manifestar de algumas formas, como trauma ano-retal generalizado, hemorroidas, fissuras anais e prolapso retal (a mucosa do reto acaba se exteriorizando pelo ânus). Tem como causas principais a penetração forçada sem lubrificante suficiente, a introdução de objetos largos e a sensibilidade diminuída devido ao uso de álcool ou outras drogas.

Incontinência anal

Apesar de pouquíssimo observado, teoricamente é possível a perda do controle esfincteriano, através da inserção de objetos muito largos (como na prática de fisting), “pratica sexual onde o parceiro ou parceira introduz a mão no reto do parceiro” e quiçá somente da atividade repetida.

Cuidados a se tomar na hora do sexo anal

Camisinha: Existem inclusive camisinhas mais grossas, especiais para a prática do sexo anal.

Lubrificante: Especialmente aqueles à base de água, pois os outros podem danificar o látex e a camisinha rompe.

Evitar objetos muito largos: Por motivos óbvios, muito cuidado também com objetos que entram com tudo e acabam ficando lá dentro.

Jeitinho, sempre: Penetrações muito afoitas vão acabar causando complicações.

Cuidados de higiene antes do sexo anal para evitar riscos à saúde

1º PASSO: Evacuar antes previne que as fezes surjam durante a prática e evita uma situação constrangedora.

2º PASSO: Não passar do coito anal para o vaginal sem antes higienizar o pênis ou trocar a camisinha, para não infectar a vagina com bactérias. O mesmo risco ocorre no contato da língua ou dos lábios no ânus. É necessário usar uma proteção – pode ser a camisinha de língua (que não cobre toda a região da boca, mas incrementa a estimulação, pois é texturizada) ou o plástico filme, aquele para alimentos (que pode ser usado para cobrir toda a área genital feminina e oferece proteção mais completa).

3º PASSO: Higienizar bem o local com água e sabonete após o sexo anal. Ele deve urinar após a transa, para limpar a uretra, e lavar o pênis.

4º PASSO: Usar a camisinha. Ela é uma boa aliada para evitar maior atrito, a contaminação do pênis por bactérias da flora intestinal e as doenças sexualmente transmissíveis.

Higiene. Atrizes pornôs costumam utilizar uma espécie de ducha, ou o famoso Fleet Enema. Mas fazendo a higiene externa adequada, já ajuda bastante. No caso de homens, também é recomendável ter cuidados na hora da higienização anal, ” a famosa duchinha”. A pratica constante da ducha podem causar fissuras graves no ânus.

Riscos do sexo anal

1. Infecções: Devido à altíssima concentração de micro-organismos, inclusive alguns que não são encontrados em outras partes do corpo.

2. Dano físico: O ânus e o reto são estruturas que, apesar de apresentaram alta resistência a micro-organismos, estruturalmente são bem frágeis.

Por fim, com esses cuidados, a experiência tende a se tornar menos traumática e mais prazerosa para ambos parceiros.

“Sexo anal, ou você ama, ou você odeia”: a anatomia explica !

Tags:, , , , , , , , , , , , ,

>Link  

Que cuidados os gays devem tomar antes da pratica do sexo anal ?
   Blog Diversidade   │       │     0:00  │  2

Existem mitos e preconceitos a respeito do sexo anal que, geralmente, são formados a partir de valores morais e religiosos. A ideia de cometer uma prática imoral ou um pecado impede algumas pessoas de experimentar. Outros entendem como uma diversificação na transa.

O receio costuma estar ligado à ideia de que a prática provoca hemorroidas, câncer e incontinência fecal, pontos ainda em discussão por especialistas, e ao medo de sentir dor. De fato, nem todo mundo sente prazer com o sexo anal e isso deve ser respeitado entre os pares, sendo eles hétero ou homossexual. Submeter-se porque é a tara do parceiro não é saudável para o casal. Cedo ou tarde isso se torna um ponto de conflito na relação ou leva à disfunção sexual do desejo. A prática sexual só é boa se oferecer prazer para os dois.

A iniciação ao sexo anal deve ser gradativa e sem pressa de colocar todo o pênis numa única transa. Dessa forma, evita incômodos, dores ou o risco de acabar de repente com uma brincadeira que só começou. Quanto mais segurança se tem na prática, maior é a possibilidade de sentir prazer.

O prazer sexual está intimamente ligado a fatores psicológicos. Por isso que mulheres foram estupradas ou tiveram uma primeira vez traumática têm uma chance maior de desenvolver anorgasmia, vaginismo e dispareunia (dor à penetração) – embora, tecnicamente, sua genitália seja saudável.

A possibilidade de sentir prazer com o estímulo anal existe em ambos os sexos. Isso decorre do fato de as terminações nervosas que levam os estímulos dos órgãos genitais e do ânus serem redundantes. No caso da mulher, a penetração anal ainda pode gerar atrito com a mucosa vaginal, devido à pressão exercida pelo pênis através da mucosa anal, o que tende a ser prazeroso.

HIV e doenças infecciosas

Não é só pela possibilidade maior de sangramentos que o sexo anal aumenta a chance de transmissão do HIV. Como o reto é a área mais infectada (leia-se: cheia de micro-organismos) do corpo, ele necessita de uma ampla defesa, que não permita a invasão de outros locais por esses patógenos. Assim, é natural que o reto possua uma concentração maior de glóbulos brancos. E no meio deles, estão os linfócitos T, que albergam o vírus.

Além disso, uma das funções do reto é a absorção de fluidos – que, aliás, é a função de todo o intestino grosso, reabsorver a água que sairia nas fezes em excesso. Misturem pequenos rasgos anais com sangramentos com uma concentração elevada de linfócitos T (e de vírus) e uma pitada de uma mucosa altamente absortiva, pegando quase tudo o que tinha o sêmen ali depositado, e temos uma combinação bombástica para a transmissão (bilateral) do vírus.

Sexo anal receptivo sem proteção, como todos devem saber, é a prática sexual mais arriscada em matéria de transmissão do HIV. Além do HIV, outras doenças podem ser transmitidas através do sexo anal, como o papiloma vírus humano, hepatites A, B e C, amebíase, gonorréia, herpes, chato (pois é), sífilis e até tuberculose.

A tênia (Taenia solium), verme que parasita o ser humano, pode causar uma manifestação grave, devido a uma peculiaridade. No seu ciclo de vida, a tênia, no intestino humano, elimina partes de seu corpo chamadas proglotes, que estão cheias de ovos e saem pelas fezes. Caindo no meio ambiente, vão ser ingeridas por porcos, e acabam se tornando uma espécie de semente, chamada cisticerco. Se o ser humano come carne de porco com cisticercos, eles vão se tornar o verme adulto no intestino humano, e o ciclo recomeça.

Porém, a formação de cisticercos não é exclusiva do porco. Se um ser humano acidentalmente ingerir proglotes, elas vão se tornar cisticercos. E no ser humano, podem se alojar no cérebro e causar a chamada neurocisticercose, com direito a convulsões e tudo o mais. Fica o alerta para praticantes do famoso beijo grego, “ato sexual anal praticado com a língua”. Se a(o) parceira(o) não estiver com a higiene em dia, já viu…

HPV e câncer anal

A imensa maioria dos casos de câncer anal ocorre por conta do HPV (papilomavírus humano). Nos últimos 30 anos, a incidência cresceu 160% nos homens e 78% nas mulheres. Mas também o uso de cigarros está bem associado, aumentando em 4 vezes o risco.

Dano físico

Pode se manifestar de algumas formas, como trauma ano-retal generalizado, hemorroidas, fissuras anais e prolapso retal (a mucosa do reto acaba se exteriorizando pelo ânus). Tem como causas principais a penetração forçada sem lubrificante suficiente, a introdução de objetos largos e a sensibilidade diminuída devido ao uso de álcool ou outras drogas.

Incontinência anal

Apesar de pouquíssimo observado, teoricamente é possível a perda do controle esfincteriano, através da inserção de objetos muito largos (como na prática de fisting), “pratica sexual onde o parceiro ou parceira introduz a mão no reto do parceiro” e quiçá somente da atividade repetida.

Cuidados a se tomar na hora do sexo anal

Camisinha: Existem inclusive camisinhas mais grossas, especiais para a prática do sexo anal.

Lubrificante: Especialmente aqueles à base de água, pois os outros podem danificar o látex e a camisinha rompe.

Evitar objetos muito largos: Por motivos óbvios, muito cuidado também com objetos que entram com tudo e acabam ficando lá dentro.

Jeitinho, sempre: Penetrações muito afoitas vão acabar causando complicações.

Cuidados de higiene antes do sexo anal para evitar riscos à saúde

1º PASSO: Evacuar antes previne que as fezes surjam durante a prática e evita uma situação constrangedora.

2º PASSO: Não passar do coito anal para o vaginal sem antes higienizar o pênis ou trocar a camisinha, para não infectar a vagina com bactérias. O mesmo risco ocorre no contato da língua ou dos lábios no ânus. É necessário usar uma proteção – pode ser a camisinha de língua (que não cobre toda a região da boca, mas incrementa a estimulação, pois é texturizada) ou o plástico filme, aquele para alimentos (que pode ser usado para cobrir toda a área genital feminina e oferece proteção mais completa).

3º PASSO: Higienizar bem o local com água e sabonete após o sexo anal. Ele deve urinar após a transa, para limpar a uretra, e lavar o pênis.

4º PASSO: Usar a camisinha. Ela é uma boa aliada para evitar maior atrito, a contaminação do pênis por bactérias da flora intestinal e as doenças sexualmente transmissíveis.

Higiene. Atrizes pornôs costumam utilizar uma espécie de ducha, ou o famoso Fleet Enema. Mas fazendo a higiene externa adequada, já ajuda bastante. No caso de homens, também é recomendável ter cuidados na hora da higienização anal, ” a famosa duchinha”. A pratica constante da ducha podem causar fissuras graves no ânus.

Riscos do sexo anal

1. Infecções: Devido à altíssima concentração de micro-organismos, inclusive alguns que não são encontrados em outras partes do corpo.

2. Dano físico: O ânus e o reto são estruturas que, apesar de apresentaram alta resistência a micro-organismos, estruturalmente são bem frágeis.

Por fim, com esses cuidados, a experiência tende a se tornar menos traumática e mais prazerosa para ambos parceiros.

“Sexo anal, ou você ama, ou você odeia”: a anatomia explica !

Tags:, , , , , , , , , , , , ,

>Link  

COMUNICADO
   Blog Diversidade   │     24 de fevereiro de 2015   │     14:17  │  0

2ª Reunião do Movimento LGBT em 2015, nesta próxima quinta-feira, 26/02, as 13 horas, no auditório da Secretaria de Estado da Mulher, da Cidadania e dos Direitos Humanos – SMCDHRua Cincinato Pinto, 503 – EM FRENTE AO PALÁCIO DO GOVERNADOR – Centro Maceió.

Lembramos que se faz necessário a participação de todos os militantes LGBT, como também a presença de todos que queiram contribuir e somar com esta bandeira de  luta do movimento. 

>Link  

A nudez de Cauã Reymond, e os primeiros bafos do ano
   Blog Diversidade   │       │     13:00  │  0

Credito da Foto: Pure Peopre

Cauã Reymond posou para a série “Towel Series”, do fotógrafo peruano Mario Testino, assim como já havia feito Laura Neiva. Na imagem, o ator que irá protagonizar a série “Dois Irmãos” aparece totalmente pelado, apenas com uma toalha à sua frente.

É claro que as/os fãs do artista não deixaram passar a oportunidade de elogiar a bela forma física do pai da pequena Sofia, de 2 aninhos. “Perfeito”, “divo”, “adorei!”, “delícia” e “não sei o que falar, só sentir” foram alguns dos comentários deixados na imagem que se multiplicou em vários perfis de Instagram.

Cauã Reymond e Grazi Massafera ainda não confirmam a reconciliação, adiantada pelo Purepeople, em setembro. Segundo informações, o casal passou o final do ano passado aqui em Alagoas, acompanhado de Massafera e da herdeira, onde passaram o Réveillon. De acordo com uma fonte, os artistas ficaram hospedados em uma pousada na Praia de Porto de pedras.

Já o carnaval deste ano deu o que falar, começando  pelas divas gay Wanessa Camargo, Ivete Sangalo e Daniela Mercury, que fizeram do frisson do carnaval em Salvador e Florianópolis um verdadeiro beijodromo, com verdadeiros atos de livre expressão e de afetos.

Já Monique Evans, é a mais nova ex, mofada, pois acaba de sair do armário, ao  assumiu, na madrugada de domingo (22), no Desfile das Campeãs do Rio, o rolo com a DJ Cacá Werneck. As duas não se desgrudaram no camarote da Devassa, na Sapucaí, e até trocaram beijos para os fotógrafos.

A ex-apresentadora, no entanto, disse que não está namorando a ruiva, garantiu que elas estão apenas se curtindo. “Estou no meu melhor momento”, falou para os fotógrafos. “Cacá me tirou da depressão”.

Tags:

>Link