Regina Duarte fala sobre personagem gay em nova novela das seis
   Blog Diversidade   │     24 de dezembro de 2014   │     0:00  │  0

"Mal posso esperar a reação, Sempre tive que lutar contra o rótulo de namoradinha do Brasil" (Foto: AG.News)

“Mal posso esperar a reação, Sempre tive que lutar contra o rótulo de namoradinha do Brasil” (Foto: AG.News)

Regina Duarte retorna à TV em 2015 em Sete Vidas, próxima novela das 18h da Globo, vivendo uma personagem lésbica. Antes disso, leva a exposição em comemoração aos seus 50 anos de carreira, ao Shopping JK Iguatemi, em São Paulo. A mostra já foi vista por 50 mil pessoas e tem curadoria do artista plástico Ivan Izzo. “A exposição traz uma linha do tempo destacando os principais acontecimentos mundiais de cada uma das cinco décadas da minha trajetória artística, traçando um paralelo entre eles os papéis que fiz”, diz a atriz.

Como se sente homenageada com uma exposição?

Na verdade, tenho me sentido homenageada ao longo dos últimos 50 anos de carreira. Recebi personagens carismáticos em trabalhos importantes como Malu Mulher, Roque Santeiro, Vale Tudo, História de Amor, O Astro, entre outros. A mostra tem figurinos e adereços de personagens como o vestido de paetê da Viúva Porcina, a batuta original de Chiquinha Gonzaga, que ganhei de presente da família da compositora na minissérie, e até textos de teatro, cinema e televisão com anotações que eu fazia enquanto estudava.

Como está se preparando para viver uma personagem gay?

Esther é uma mulher que tem filhos gêmeos por meio de inseminação artificial. Ela era casada com outra mulher quando resolveu ser mãe e é bem resolvida, pra cima e muito generosa. Estou encarando o papel, que é diferente de tudo o que já fiz, como mais um presente na minha vida. Mal posso esperar para ver a reação do público.

Qual a maior dificuldade que teve na sua carreira?

Tive algumas, mas foram elas que fizeram com que eu lutasse pela superação e evoluísse como pessoa e como atriz. Sou muito grata a todas as adversidades que pintaram em minha vida. Posso citar uma: sempre tive que lutar contra os que passaram a me rotular como ‘Namoradinha’. E até mesmo, em que só conseguem descrever meu personagem como a lésbica de ‘Sete Vidas’. Esther é bem mais do que apenas isso.

>Link  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *