Médicos Egípcios anunciam cura do HIV
   Blog Diversidade   │     23 de fevereiro de 2014   │     14:58  │  2

Os médicos militares do Egipto anunciaram a conclusão de testes de medicamentos e de aparelhagem para o tratamento de HIV, (Vírus de Imunodeficiência Humana), e da hepatite C.

Segundos os médicos, o prazo de tratamento é de seis meses. Inicialmente, o paciente toma medicamentos durante dez dias.

Segundos os médicos, o prazo de tratamento é de seis meses. Inicialmente, o paciente toma medicamentos durante dez dias.

A tecnologia foi denominada “Complete Curing Device” (CCD) e permite rastrear e eliminar os vírus e levar a cabo a terapia geral.

O correspondente da Voz da Rússia foi o primeiro jornalista estrangeiro que teve a oportunidade de conversar com os dirigentes deste projecto que ainda há pouco era ultra secreto. Numa palestra, realizada no Departamento de Engenharia das Forças Armadas, estiveram presentes ambos os criadores da tecnologia única – o general-médico Ibrahim Abdel-Atti e o coronel-médico Ahmed Amin. Foi o coronel Ahmed Amin quem falou da nova tecnologia:

“O Departamento de Engenharia das Forças Armadas desenvolveu e testou dois aparelhos. Um deles, que tinha sido desenvolvido sob a minha direcção, descobre os vírus, enquanto o outro, desenvolvido sob a direcção de Ibrahim Abdel-Atti, elimina estes vírus. O programa geral de tratamento inclui também medicamentos especialmente desenvolvidos. Os medicamentos e a aparelhagem já foram submetidos a todos os testes em modelos, em animais e em humanos. Isto diz respeito ao HIV e ao vírus da hepatite C. Todos os ingredientes dos medicamentos também foram submetidos a testes de toxicidade. Fizemos também um teste de estabilidade de convalescença durante os 33 meses depois do tratamento. O desenvolvimento do nosso método levou cerca de vinte anos” disse.

A propósito, segundo já informou Ibrahim Abdel-Atti, cerca de 70% das análises químicas dos medicamentos foram efectuadas nos laboratórios russos da cidade de Dubna.

“Antes de dar início à verificação da eficiência do aparelho no tratamento de humanos, obtivemos todos os certificados necessários. Sem estes documentos não poderíamos testar o efeito produzido por este aparelho em pessoas humanas. Todos estes certificados encontram-se no Ministério da Saúde do Egipto. Já na fase de testes destes métodos em animais, obtivemos provas patentes de que depois do ciclo de tratamento os vírus no organismo desaparecem. Os nossos cientistas estudaram vínculos químicos dentro do vírus e os vínculos químicos dos componentes do sangue. Eles descobriram o método que permite romper os vínculos químicos dentro do vírus sem prejudicar os componentes do sangue” acrescentou.

Segundos os médicos, o prazo de tratamento é de seis meses. Inicialmente, o paciente toma medicamentos durante dez dias. A seguir, durante 15 a 25 dias, em conformidade com o estado do paciente, que é submetido ao tratamento com o aparelho uma hora por dia. E depois, novamente toma medicamentos até completar o prazo total de seis meses.

“Constatamos que os vírus desapareceram do organismo de todos os pacientes submetidos aos nossos testes.”

Questionado se será acessível o tratamento de acordo com o método novo, a fonte disse “simultaneamente com a cura da doença, provocada pela infecção básica, pára também o desenvolvimento de doenças secundárias, resultantes da enfermidade principal. Por exemplo, pára o desenvolvimento da diabetes ou o processo de deterioração da visão. O nosso método não exerce directamente influência sobre as infecções secundárias e outras patologias secundárias. Ele elimina o vírus que tinha provocado a doença primária – então as doenças secundárias param de desenvolver-se e podem ser curadas”.

Em relação ao tratamento disse não foi estudada a questão do custo de mas, certamente, haverá uma diferença substancial do custo em comparação com o Ocidente. “Um simples operário poderá fazer o tratamento sem enfrentar problemas materiais. E isto vai ocorrer já em breve. Inicialmente pretendemos pôr em funcionamento esta aparelhagem em um ou dois hospitais militares. Mais tarde, os mesmos aparelhos serão instalados nos hospitais civis. Vamos começar a tratar oficialmente os pacientes a partir de 01 de julho”.

Tags:, , , , ,

>Link  

COMENTÁRIOS
2

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Jane Bourges

    Meu nome é Jane Bourges e meu e-mail é [email protected]. Eu sou um artista, ativista, amante e lutador. Eu era HIV positivo, e sou um fora e, finalmente, ORGULHOSO HIV negativo e livre. Eu fui diagnosticado com HIV em 2006. Fiquei arrasado e eu passei a vergonha eo dilúvio indesejado de emoções que quase afogá-lo depois de saber que você tem o vírus mortal, ouvindo o que os outros dizem por ignorância, e mesmo sendo a efígie de estigma nascido de que a ignorância. Levei um tempo para processar (cerca de 2 anos), e, finalmente, percebi através de outros amigos que não havia cura através de meios espirituais e ervas da África Herbalist doutor Anthony Odia, depois de fazer contatos com ele pelo e-mail Odincurahiv @ gmail. com, juntamente com a sua orientação, eu pedi para as ervas e começou a tomá-lo, as ervas durou 7 dias, como instruído pelo médico, uma semana depois que eu fui ao meu médico pessoal e testes foram realizados e os resultados mostraram Negativo, que há havia nada de errado comigo … Então, para mostrar o meu apreço i decidiu anunciar também a todas as outras pessoas que precisam de compaixão, orientação e educação sobre HIV / AIDS e Câncer. Estou dedicado a organizações como o Projeto Estigma e A Tribe Câncer. Convido diálogo aberto sobre a minha própria experiência HIV e câncer, e responder às perguntas que qualquer um gostaria de saber as respostas.

    Reply
  2. Jane Bourges

    Meu nome é Jane Bourges e meu e-mail é [email protected]. Eu sou um artista, ativista, amante e lutador. Eu era HIV positivo, e sou um fora e, finalmente, ORGULHOSO HIV negativo e livre. Eu fui diagnosticado com HIV em 2006. Fiquei arrasado e eu passei a vergonha eo dilúvio indesejado de emoções que quase afogá-lo depois de saber que você tem o vírus mortal, ouvindo o que os outros dizem por ignorância, e mesmo sendo a efígie de estigma nascido de que a ignorância. Levei um tempo para processar (cerca de 2 anos), e, finalmente, percebi através de outros amigos que não havia cura através de meios espirituais e ervas da África Herbalist doutor Anthony Odia, depois de fazer contatos com ele pelo e-mail Odincurahiv @ gmail. com, juntamente com a sua orientação, eu pedi para as ervas e começou a tomá-lo, as ervas durou 7 dias, como instruído pelo médico, uma semana depois que eu fui ao meu médico pessoal e testes foram realizados e os resultados mostraram Negativo, que há havia nada de errado comigo … Então, para mostrar o meu apreço i decidiu anunciar também a todas as outras pessoas que precisam de compaixão, orientação e educação sobre HIV / AIDS e Câncer. Estou dedicado a organizações como o Projeto Estigma e A Tribe Câncer. Convido diálogo aberto sobre a minha própria experiência HIV e câncer, e responder às perguntas que qualquer um gostaria de saber as respostas.

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *