Category Archives: Música

Filhos do Arco-Íris: Artistas se unem em prol da causa LGBT
   Blog Diversidade   │     12 de junho de 2017   │     16:51  │  0

“Filhos do Arco-Íris” é uma música apresentada pelo produtor Rick Bonadio, com assinatura de Joca Beta e Nizan Guanaes. Nos vocais, estão Sandy, Preta Gil, Daniella Mercury, Pabllo Vittar, Luiza Possi, Gloria Groove, Kell Smith, Di Ferrero e outros destaques. 

Foi divulgado, nesta terça-feira (6), o áudio da música feita para o Mês do Orgulho LGBT no Brasil, celebrado no dia 28 de junho. Intitulada ‘Filhos do Arco-Iris’, a música conta com a participação de ícones nacionais como Preta Gil, Gloria Groove, Pabllo Vittar, Daniela Mercury, Sandy, Fafá de Belém, Carlinhos Brown, Luiza Possi, Paulo Miklos, Rogério Flausino e Di Ferrero e foi produzida por Rick Bonadio.

Os lucros rendidos com a canção irão ser revertidos para fundações que lutam para prevenir a epidemia do HIV.

Segundo o compositor Nizan Guanaes, a canção “é o início de uma campanha de mobilização e conscientização que irá culminar na Parada LGBT de 2018, ano da eleição presidencial e do Legislativo, cuja causa LGBT precisa influenciar”.

A versão completa da música será lançada no Spotify em breve, mas um trecho de 2 minutos já circula na internet, inclusive na página oficial de Pabllo Vittar no Facebook.

Tags:, , ,

>Link  

DJ Breno Barreto lança clipe de Don’t Stop Moving
   Blog Diversidade   │     8 de junho de 2017   │     23:26  │  0

Depois de Cha Cha Boom, produção feita em parceria com a cantora Nicky Valentine; shake It e The Music,  que teve a participação de Alex Marie, e outros  grandes nomes das pistas como: Kylie Minogue, Beyonce e Britney Spears, o mega DJ Breno Barreto lançou na última terça feira, 6/5 , em seu canal oficial do YouTube, a sua mais nova produção, “Don’t Stop Moving”. Sua nova produção desta vez conta com a participação da cantora espanhola Nalaya.

Já o clipe da música conta com a inreverencia e close das estrelas da noite paulistana, as drags queen’s Silvetty Montilla, Alexia Twister, Ikaro, Marcia Pantera e Hidra & Musa Von Carter.

Vale a pena conferir, pois o Deejay e produtor Breno Barreto é um dos maiores nomes da cena eletrônica no Brasil, seu currículo de ouro tem como base de referência a sua participação em grandes  partys em território brasileiro  e fora  do país, ao longo de uma trajetória de mais de 10 anos de carreira. 

Saca só: Inúmeros remixes e cinco grandes hits lançados para o cenário eletrônico nacional; residente de um dos maiores e mais tradicionais clubes de São Paulo, a Blue Space, Breno é hoje uma referência no segmento eletrônico e se firma como um dos maiores DJs do Brasil.

hits como “Cha Cha Boom, produção em parceria com a cantora Nicky Valentine, consolidou ainda mais seu prestigio e sucesso no mercado eletrônico. Breno também já emplacou hits como “Shake It” (2010), em parceria com a cantora Alex Marie, a faixa ganhou destaque na programação de emissoras FM como Jovem Pan (Nacional) e Energia 97 (SP), no ranking HGM (Hot G Music), “Shake It” chegou à primeira posição por voto popular.

>Link  

O beijo gay negro e o corpo político de Gê de Lima
   Blog Diversidade   │     30 de maio de 2017   │     9:50  │  0

A liberdade conquistada aos poucos pelas minorias deve ser usada para uma nova conscientização.

O revolucionário ato de ser você mesmo é a constante busca de Gê de Lima. Nascido no Grajaú (SP), Gê é Jefferson Oliveira Santos Lima e faz parte das minorias: é negro, periférico e gay. Mas isso nunca foi insulto para seu talento, pelo contrário, foi empoderamento. Mesmo descobrindo-se co-criador da própria realidade como artista, Gê de Lima ainda experimenta todas as formas de discriminação e opressão, e encontrou na música (e na bela voz) instrumento de superação, auto-representatividade e seu protesto.

“Fotografia”, terceiro videoclipe lançado por Gê de Lima, é uma MPB romântica sobre a história de amor entre dois homens negros. Fazer a escolha pelo beijo duplamente fora dos padrões, e a favor da representatividade negra como ponto alto do clipe, é parte da indumentária de Gê de Lima. Sua auto-descoberta e aceitação são reflexos da desconstrução atual dos meios, dos padrões e do “normal”.

A liberdade conquistada aos poucos pelas minorias deve ser usada para uma nova conscientização, com mais autonomia, e é o que Gê tem feito, ajudando a abrir portas antes fechadas.Esse descobrir-se sem medidas resulta em pertencimento, não somente ao artista que procura crescer e conquistar seu público, mas também ao público que está à procura de identificação e exemplos de superação. Com essa ideia, Gê reuniu amigos e fãs para colaborarem no vídeo com uma foto de casal ou até solteirx, desde que fosse uma demonstração de amor sincero, e nada mais dono de si do que amar-se.

(Foto: Leo F. Carter)

O clipe e a figura de Gê vêm para firmar a importância do corpo político, o corpo empoderado. Em fotos recentes, ele escolheu posar nu como expressão da coragem de libertar-se dos estigmas, de mostrar-se sem a vergonha de estar bem em sua própria pele.

Enquanto se prepara para lançar o segundo trabalho solo, Gê de Lima canta ao vivo em 2 de junho no Galpão Cultural Humbalada, referência de diversidade no Grajaú, e tem participação confirmada no show do rapper JPA Epycentro, no palco do Centro Cultural Grajaú, na Virada Cultural, em São Paulo, no dia 21 de maio.

Sobre Gê de Lima:

O cantor e compositor paulistano Gê de Lima se destaca pelo timbre de voz, uma enorme extensão vocal e forte presença cênica no palco. Seu primeiro contato significativo com a música foi na adolescência, quando conheceu o cantor e compositor Chico Buarque de Hollanda. Na escola em que estudou, havia uma sala de aula batizada de “Sala Chico Buarque” onde, além das matérias tradicionais, os alunos aprendiam sobre a vida e a obra de Chico. A partir da experiência de conhecer Chico numa visita à escola, Gê passou a ser um admirador da música popular brasileira.

Iniciou sua carreira artística no teatro aos dez anos de idade e se profissionalizou como ator, em 2006. Em 2011, iniciou sua carreira solo e logo foi convidado para abrir shows importantes, como o do cantor e compositor Toquinho, dos irmãos Wilson Simoninha e Max de Castro, e Luiz Melodia. Gê participou de eventos como Virada Cultural Paulista, na cidade de Diadema (2012), e Virada Cultural (2013 e 2015), em São Paulo. Também em 2015, foi convidado para integrar o elenco do musical “Léo & Bia”, com direção de Oswaldo Montenegro.

Em 2014, o artista lançou o álbumMinha Conduta, com músicas inéditas de compositores como Marcus Vinile, Marco Mattoli, Walmir Borges e participações especiais do trombonista Bocato e do Pagode da 27. Neste trabalho, Gê de Lima fez uma releitura de “Com que Roupa”, de Noel Rosa, em versão blues, gênero musical com o qual se identifica muito. Esta é a primeira faixa do álbum a ganhar videoclipe, seguida de “Samba dos Outros”.

Atualmente, o cantor segue com a turnê do álbum e com a divulgação do clipe de “Fotografia”, que encerra o ciclo de Minha Conduta. Já com ideias encaminhadas para o segundo disco, que será de sua autoria, Gê de Lima adianta que será um álbum com força política, tratando de temas como liberdade sexual, diversidade, padrões, desigualdade racial e sexualidade.

Ficha técnica “Fotografia”:

Compositores: Marco Mattoli e Walmir Borges

Direção: Leo F. Carter

Produção de vídeo: Luciano Teck

Roteiro: Gê de Lima

Produção executiva: Estúdio Leo F. Carter

Participação especial: Wellington Santana

Texto: Mariângela Carvalho

Tags:, , , , ,

>Link  

DJ Korth, a nova aposta da House Music Nacional
   Blog Diversidade   │     20 de maio de 2017   │     11:49  │  0

Natural de Goiânia (GO) produz música alternativa, tendo em vista a abordagem de assuntos sérios, como a temática LGBTT

Korth é um dos nomes mais quentes da dance music nacional. Natural de Goiânia (GO) produz música alternativa, tendo em vista a abordagem de assuntos sérios, como a temática LGBTT.

Korth traz em seu currículo a experiência de ter participado de Rádio, Bandas de Pop/Rock, Teatro, DJ.

Como produtor musical, divulga seu primeiro àlbum de studio nomeado de (Happiness) que conta com a colaboração do duo de artistas suecos Kadie Elder e os brasileiros Whoma4d, Lmou, Gi, Rendy e Alexxa.

Diferentemente de artistas que procuram temas genéricos, o jovem produtor aborda assuntos como drogas, sexualidade, guerra, cultura de vida e tudo isso sob batidas alternativas e pouco convencionais em seu álbum, esperado para setembro desde ano.

Veja algumas curiosidades sobre Korth:

• Em 2015, foi eleito artista revelação LGBT em Goiânia;
• Suas redes sociais juntas tem mais de 15 mil de subscrições;
• Seu primeiro single é o remix da canção Até o Sol Raiar – BangKook feat Alexxa (Sony Music 2017);
• Atualmente é sócio do maior festival cultural voltado a cultura LGBT do Estado de Goiás, Vale Music Festival.

• Começou a cantar no seminário (cristão) aos 10 anos de idade.

• Além de músico é formado em Design Gráfico.

Tags:, , , ,

>Link  

Pablo Vittar, a drag queen maranhense que virou um dos maiores fenômenos da internet no Brasil
   Blog Diversidade   │     16 de fevereiro de 2017   │     15:43  │  0

Capa oficial de "VAI PASSAR MAL", sua mais nova produção musical

Capa oficial de “VAI PASSAR MAL”, sua mais nova produção musical

Phabullo Rodrigues da Silva, mais conhecido como Pabllo Vittar, natural de Santa Inês no Estado do Maranhão, região nordeste do país, nascido em 1 de novembro de 1994, ele é uma febre na internet e nas casas noturnas LGBT e  no meio das festas alternativas em todo o país.

Artista, cantora, compositora, performer e drag queen brasileira, que ganhou notoriedade na mídia no final de 2015, devido ao videoclipe da sua música “Open Bar”, uma versão em português de “Lean On”, do Major Lazer, que mistura pop e samba. Em menos de 4 meses, o vídeo alcançou a marca de um milhão de visualizações no Youtube. Devido ao sucesso instantâneo, a cantora acabou se expandindo profissionalmente, lançando seu extended play (EP) de estreia, Open Bar, em dezembro de 2015.

Às vésperas do Carnaval, a canção “Todo Dia”, sua mais recente produção musical,  a musica já desponta como um dos maiores hits do disco “Vai Passar Mal”, o primeiro da cantora, compositora e drag queen. Disponível no YouTube, o videoclipe já ultrapassou os 2,2 milhões de visualizações. O refrão chiclete, escrito pelo rapper Rico Dalasam (pioneiro do rap gay no Brasil), no estilo “papo reto”, ajudou a viralizar a música: “Eu não espero o Carnaval chegar pra ser vadia/ Sou todo dia, sou todo dia!”. É, assim, plena de atitude e ecoando mensagens de superação e autonomia, como vem mostrando desde 2015 com o single “Open Bar”, que Vittar estreia em CD produzido pelo duo Brabo (formado por Rodrigo Gorky, do Bonde do Rolê, e pelo promissor Maffalda).

Vittar conta que as canções têm essa vibração porque refletem a fase atual de sua carreira. “As músicas foram escritas com base no momento em que estou vivendo, que é exatamente isso! Quando você canta uma música com verdade no coração acho que mais pessoas vão se identificar”, afirma o artista, que atualmente mora em Uberlândia. Aliás, foi na cidade mineira que ela chegou a cursar dois períodos de design na Universidade Federal de Uberlândia (UFU), antes de optar definitivamente pela carreira artística.

De acordo com Vittar, “Vai Passar Mal”, mixado e masterizado no The Castle Studios, em Los Angeles, por Gorky e Turbotito (que já trabalhou com Azealia Banks e Ke$ha), é fruto de parcerias com nomes como Rodrigo Gorky e Laura Tayor (do Bonde do Rolê), Dalasam, Mateus Carrilho (um dos fundadores da Banda Uó) e o DJ norte-americano Diplo (produtor de Madonna e Britney Spears). “Existem composições minhas e desses outros artistas também. O processo foi longo, estávamos cada um em um canto do país”, afirma Vittar.

Ela segue trabalhando com Gorky desde “Open Bar”, versão de “Lean On”, de Major Lazer & DJ Snake, que explodiu dois anos atrás na internet. “‘Open Bar’ era um remix pra música original que o Omulu tinha produzido, mas não tinha lançado ainda! O Gorky ouviu, me apresentou ela, criei a letra superrápido e convidamos os Strausz e o Maffalda para também ajudar a gente nessa produção”, recorda Vittar, que ficou conhecida como a vocalista da banda do programa “Amor & Sexo”, da Rede Globo, e por estrelar a campanha “Louca por Cores”, da Avon.

Já em Maceió, a febre Vittar desembarca mais uma vez no dia 10 de março, onde ela estará se apresentando na festa “Ressaca de Carnaval com Pabllo Vittar”, organizada pela empresa de eventos Cool, na Orákulo Choperia.

Tags:, , , , , , , ,

>Link