Tag Archives: Laís Bezerra

Festa de aniversário promete agitar a tarde deste próximo domingo em MCZ
   Blog Diversidade   │     24 de outubro de 2015   │     11:37  │  0

Festa acontece em comemoração ao aniversário da universitária Laís Bezerra e do promoter alagoano Cristiano de Barros

Festa acontece em comemoração ao aniversário da universitária Laís Bezerra e do promoter alagoano Cristiano de Barros.

Domingo, 25, a partir das 13h, acontece a festa de comemoração do birthday de uma das lês mais conhecida entre o público LGBT em alagoas, a universitária Laís Bezerra.

Popularmente conhecida nas redes sociais e no meio LGBT como Laís Original, a gata é dona de uma persona incrível, além de arrastar uma galera muito massa sempre que realizar suas party´s.

O evento de comemoração de aniversário de Laís, ocorrerá na boate Havana, localizado na AV. Comedador Leão , 83 – Jaraguá, Maceió/AL.

O evento será também em comemoração ao niver do promoter da boate Cristiano de Barros.

Sem sombra de duvidas esta festa promete, não só pela popularidade da aniversariante, mas também pelo line-up de apresentações de peso que estarão presente, composto por: Bruninho do Boca de Forno e  Swinhatoa, além da participação mais que especial de Fabi Canuto – Esquadrão de Balli; Forro do Frazão; Barababaz; Garota Veneno; Lucas Ferrari; Karla Pinheiro e  Pedro Nascimento – Ex. Ponney do Arrocha. E não para por ai, estas são só as atrações do palco principal, já ao comando da pista ficará por conta dos Deejays: Maxx Logan;  Washington; Fabiano Ká e o performático Dj Jean Pierre.

Tenha ao certo que será uma tarde super diferente, que seguirá até ás 22h da noite.  Então você que não conseguiu adquirir o seu ingresso, coloque o seu bom e belo glasses black de marca poderosa, e adquira o seu acesso mais que vip ao preço de R$ 25 reais, que já estará incluso o consumo de feijoada e caipirinha, além do acesso a área vip.

Sinta você também o estase desta tarde maravilhosa, que  ao certo ficará nos anais da história LGBT alagoana.

Informações: (082) 98896-5258

Informações: (082) 98896-5258

Fonte: Assessoria de Comunicação de Laís Bezerra

Tags:, , , , , , , , , , , , , ,

>Link  

Um grande desabafo: Que vem de onde maioria das pessoas com certeza passam por isso
   Blog Diversidade   │     3 de abril de 2013   │     1:21  │  52

Artigo

Laís Bezerra

 

Por: Laís Bezerra – Lésbica assumida, militante LGBT Alagoana, estudante de psicologia no 8º período, formada no curso de capacitação e qualificação de segurança patrimonial e vigilante armado.  Possui curso de Gênero e Sexualidade, psicologia jurídica e criminal e Psicopatologia pela faculdade CESMAC

A homossexualidade é uma ilha cercada de ignorância por todos os lados. Nesse sentido, não existe aspecto do comportamento humano que se lhe compare.

Não há descrição de civilização alguma, de qualquer época, que não faça referência à existência de mulheres e homens homossexuais. Apesar dessa constatação, ainda hoje esse tipo de comportamento é chamado de antinatural.

Os que assim o julgam partem do princípio de que a natureza (ou Deus) criou órgãos sexuais para que os seres humanos procriassem; portanto, qualquer relacionamento que não envolva pênis e vagina vai contra ela (ou Ele).
Se partirmos de princípio tão frágil, como justificar a prática de sexo anal entre heterossexuais? E o sexo oral? E o beijo na boca? Deus não teria criado a boca para comer e a língua para articular palavras?
Se a homossexualidade fosse apenas perversão humana, não seria encontrada em outros animais. Desde o início do século 20, no entanto, ela tem sido descrita em grande variedade de espécies de invertebrados e em vertebrados, como répteis, pássaros e mamíferos.

Em virtualmente todas as espécies de pássaros, em alguma fase da vida, ocorrem interações homossexuais que envolvem contato genital, que, pelo menos entre os machos, ocasionalmente terminam em orgasmo e ejaculação.

Comportamento homossexual envolvendo fêmeas e machos foi documentado em pelo menos 71 espécies de mamíferos, incluindo ratos, camundongos, hamsters, cobaias, coelhos, porcos-espinhos, cães, gatos, cabritos, gado, porcos, antílopes, carneiros, macacos e até leões, os reis da selva.

Relacionamento homossexual entre primatas não humanos está fartamente documentado na literatura científica. Já em 1914, Hamilton publicou no Journal of Animal Behaviour um estudo sobre as tendências sexuais em macacos e babuínos, no qual descreveu intercursos com contato vaginal entre as fêmeas e penetração anal entre machos dessas espécies. Em 1917, Kempf relatou observações semelhantes.

Masturbação mútua e penetração anal fazem parte do repertório sexual de todos os primatas não humanos já estudados, inclusive bonobos e chimpanzés, nossos parentes mais próximos.

Considerar contra a natureza as práticas homossexuais da espécie humana é ignorar todo o conhecimento adquirido pelos etologistas em mais de um século de pesquisas rigorosas.

Os que se sentem pessoalmente ofendidos pela simples existência de homossexuais talvez imaginem que eles escolheram pertencer a essa minoria por capricho individual. Quer dizer, num belo dia pensaram: eu poderia ser heterossexual, mas como sou sem vergonha prefiro me relacionar com pessoas do mesmo sexo.

Não sejamos ridículos; quem escolheria a homossexualidade se pudesse ser como a maioria dominante? Se a vida já é dura para os heterossexuais, imagine para os outros.

A sexualidade não admite opções, simplesmente é. Podemos controlar nosso comportamento; o desejo, jamais. O desejo brota da alma humana, indomável como a água que despenca da cachoeira.

Mais antiga do que a roda, a homossexualidade é tão legítima e inevitável quanto a heterossexualidade. Reprimi-la é ato de violência que deve ser punido de forma exemplar, como alguns países fazem com o racismo.

Os que se sentem ultrajados pela presença de homossexuais na vizinhança, que procurem dentro das próprias inclinações sexuais as razões para justificar o ultraje. Ao contrário dos conturbados e inseguros, mulheres e homens em paz com a sexualidade pessoal costumam aceitar a alheia com respeito e naturalidade.

Negar a pessoas do mesmo sexo permissão para viverem em uniões estáveis com os mesmos direitos das uniões heterossexuais é uma imposição abusiva que vai contra os princípios mais elementares de justiça social.

Os pastores de almas que se opõem ao casamento entre homossexuais têm o direito de recomendar a seus rebanhos que não o façam, mas não podem ser fascistas a ponto de pretender impor sua vontade aos que não pensam como eles.

Afinal, caro leitor, a menos que seus dias sejam atormentados por fantasias sexuais inconfessáveis, que diferença faz se a colega de escritório é apaixonada por uma mulher? Se o vizinho dorme com outro homem? Se, ao morrer, o apartamento dele será herdado por um sobrinho ou pelo companheiro com quem viveu trinta anos?

A vida será de quem é homossexual, então porque se incomodar? Não seria um desejo que você reprime e pelo o fato do outro ter a ATITUDE de se assumir, e você por algum motivo, não poder, você cria um certo tipo de ódio, e vivi a criticar? Pensa direitinho, se não é você que está nos momentos entre 4 paredes, porque tamanhã incomodação?

Hora, de rever tais conceitos. E deixando bem claro, o fato de você respeitar um homossexual, não significa que você é um, aprendemos a respeitar os índios e isso não nos tornou um lembra?

Respeitando, apenas, significa que você tem total educação admirada e estrutura para viver em uma sociedade digna, tolerante, sem alienações, onde todos teremos o mesmo destino final: Cemitério.                  Onde cada um satisfaz suas devidas necessidades e seremos apenas feliz aproveitando a vida da maneira que achar prazerosa, sem prejudicar ninguém.

Tags:

>Link