Category Archives: Ponto de vista

Essa bicha não me representa!
   Blog Diversidade   │     19 de março de 2017   │     1:12  │  0

Amei o texto, pois o mesmo reflete os preconceitos internalizados da própria comunidade LGBT. E digo mais. Ou vencemos essas barreiras, ou não avançaremos nunca.

Foi muito fácil xingar no twitter, dizendo que aquele mocinho de sobrancelhas feitas e chapinha no cabelo não nos representava, e com isso mostrar o quanto somos politizados. Fácil demais até, na velocidade de um LIKE. Mas há outro tipo de pessoa que, embora não esteja na presidência de nenhuma comissão da câmara, também provoca gritos de protesto entre os gays, que clamam não serem representados por elas: as bichinhas.

Escolhi uma foto do Serginho Orgastic, do BBB10, para ilustrar essa coluna. Motivo? Sempre que vejo alguma notícia sobre ele, há uma enxurrada de comentários maldosos, fazendo graça, se referindo ao rapaz no feminino – como se isso fosse defeito – e sempre frisando que “isso não nos representa” ou pior ainda, que “é esse tipo de gay que não se dá ao respeito e prejudica o movimento“. Não vou nem falar em Homofobia Internalizada, pra não ficar chato. O que falta a essas bibas preconceituosas é vergonha na cara mesmo!

Tá boa que vocês são representadas APENAS por aquele estereótipo gay-branco-limpinho-másculo-sarado-topete-iPhone-Lacoste, néam? Se hoje falamos em Direitos LGBT, é justamente por causa dos homossexuais efeminados e marginalizados, que deram a cara a tapa para clamar por orgulho numa época em que isso levava à prisão. E isso falando apenas dos gays, porque na real devemos tudo às travestis e transexuais que já compravam esse barulho muito antes! Se hoje nós podemos dar pinta com calça da Hollister, mandando tchauzinho prasamigues na fila da The Week, é por causa dessas pessoas que ainda são motivo de chacota nos programas humorísticos e pior, dentro da nossa própria comunidade. Onde vocês pensam que reproduzir o machismo – que nos vitimiza – vai levar?

Não conheço o Serginho e aqui não está em discussão a pessoa dele. Se ele é legal ou não, se é honesto, se é bonito, se é feio, etc. Mas é daí que ele quer usar bolsa, tirar foto maquiado ou idolatrar a Paris Hilton? Por causa disso ele é uma de vergonha? Por causa disso ele – e vários outros meninos que agem da mesma forma – são responsáveis pelas nossas derrotas na arena social? Quer dizer então que só vale ficar postando foto no Instagram se for junto dos bróder, geral de camisa pólo, fazendo joinha pra câmera? Pelamor, né?!

Ninguém é obrigado a dar um beijo na boca de uma pintosa ou a sair por aí com acessórios femininos por ser gay, mas temos que entender – e respeitar – que algumas pessoas se sentem bem assim. Não só elas estão em seu direito como estão, também, tomando uma posição muito mais política e corajosa do que a de tentar “se infiltrar” no mundo normal impondo heteronormatividade como estilo de vida.

Voltando aos acontecimentos recentes, é muito fácil protestar e dizer que pastores fundamentalistas não nos representam. Todo mundo sabe que eles são doentes mesmo, e até os religiosos já estão se revoltando com certos exageros de discurso. Mas temos que tomar cuidado, porque também é fácil apontar para aquela bichinha (lembrando sempre que os outros dedos estarão voltados pra você) e acabar repetindo a mesma cantilena dos nossos inimigos: “Ninguém nasce assim, isso pode ser curado, esse comportamento é um desrespeito”.

Mais do que nunca, se você é gay e se preocupa com os direitos dos outros, permita-se. Seja livre. Seja fabuloso.

Fonte: Fabricio Longo

Tags:, , , ,

>Link  

O perigo de se viver uma homossexualidade enrustida
   Blog Diversidade   │     26 de fevereiro de 2017   │     0:00  │  0

Hoje

Omar Mateen matou 50 pessoas e feriu 53 na boate Pulse em Orlando, na Flórida.

Omar Mateen matou 50 pessoas e feriu 53 na boate Pulse em Orlando, na Flórida.

vamos falar sobre o quanto a homofobia está relacionada à misoginia.

Neste post, vou falar sobre homens gays que fingem ser heterossexuais. Existem mulheres que fingem ser heterossexuais quando na verdade são lésbicas e até se casam com homens, têm filhos, etc. Mas o foco desse post são homens gays que fingem ser héteros porque meu foco agora é discutir as associações entre homofobia e misoginia, e elas aparecem mais na questão da homossexualidade masculina.

É claro que a homofobia é uma questão pessoal, e é fortalecida pela cultura e a educação, mas não tem como negar que ela vem de uma pressão social também. Enfrentar o preconceito dos outros não é tarefa fácil, mas nada pode ser pior do que o auto-preconceito. Essa sensação de auto-rejeição leva o indivíduo a fingir ser o que não é a fim de ser aceito pelos outros, mas, principalmente, ser aceito por si mesmo.

Já ouvi falar sobre todo tipo de atrocidade. Existem homens gays que fazem acordos de casamento: Eles se casam com uma mulher que sabe da condição, mas que quer muito casar só pra não ser solteira e ter um homem que a acompanhe em eventos sociais. Também já ouvi que alguns gays procuram se casar com mulheres que “não gostam muito de sexo”.

Eu já conheci muitos gays não assumidos. Todo mundo percebe, mas eles insistem em dizer que são héteros, até ficam irritados se alguém sugere o contrário. Até aí tudo bem, ninguém deve ser obrigado a assumir o que quer que seja sobre si próprio. O problema começa quando um homem assim resolve se relacionar com mulheres como se fosse heterossexual, porque ele a está usando como um instrumento de auto-afirmação social e, mais cedo ou mais tarde, vai magoá-la.

Às vezes acontece do homossexual enrustido ser misógino, e aí é pior. Esse tipo apresenta aquelas características que mencionei acima, mas tem um agravante. Ele não sente atração sexual por mulheres, apenas finge sentir porque acha que isso vai colocá-lo na posição de homem respeitável que ele tanto almeja. Então ele passa a vida dele enfiando o pênis em vaginas, bocas e ânus femininos por aí, apesar de não ter tesão nisso. Como ele não só não sente respeito por mulheres, como também não sente atração por elas, evita tocá-las com as mãos ou com a boca e procura ejacular o mais depressa possível.

Quando o homossexual não é misógino, ele procura ter casos e flertes com mulheres que ele considera como amigas. Ele pode até acreditar que sente atração por elas, mas a verdade é que ele não sente. Ele vai fingir que quer muito transar com elas, mas vai sempre encontrar empecilhos pra isso. Em geral, inventa uma ex-namorada do passado que não consegue esquecer, um verdadeiro amor insubstituível: “Nunca mais amarei novamente”.

O mais doloroso em ambos os casos é que eles fazem a mulher acreditar que há algo de errado com ela, quando na verdade, eles apenas não sentem atração por mulheres. Só que eles próprios não querem ver isso, então a induzem a crer não ser atraente o suficiente, ou ser ciumenta demais. Inventam que não querem comprometimento, que só querem galinhar e que a mulher está sendo muito chata por querer namorar. A pior possibilidade é que ele seja um gay misógino. Aí você experimentará algumas das piores relações sexuais de sua vida. Esse tipo joga a garota na cama, tira a calcinha dela, coloca o pênis na vagina, goza logo em seguida, não dá nem um beijo na boca, e então se levanta. Ele faz isso porque quer ter o mínimo contato possível com mulheres. Em geral, ele fala abertamente sobre ter nojo de xoxota e jamais sonha em fazer sexo oral numa garota. Tudo isso porque ele não só não se importa com o prazer sexual da mulher, mas ele quer que ela sofra mesmo. Ele tem raiva de mulheres, então ele penetra bruscamente para machucar. Se sangrar, ele fica feliz. E como ele também não sente atração por mulheres, ele ejacula rápido, pois tem dificuldade de manter a ereção. E claro, ainda vai fazer a menina acreditar que isso acontece porque ele não sente tanta atração assim por ela, que ela não é bonita o suficiente.

Ser homossexual não é um estilo de vida como alguns líderes religiosos afirmam. Ser homossexual faz parte da formação psicológica e sexual de uma pessoa, formação essa sobre a qual ela não tem domínio. Não é justo que um gay tente viver como hétero e machuque outras pessoas a fim de viver uma farsa. Mas como a sociedade em que vivemos é bastante homofóbica, e ser gay é algo que uma boa parte das pessoas considera algo negativo, muitos gays tentam viver como heterossexuais. O que as mulheres hétero ou bi podem fazer é evitar, pois namorar um gay enrustido só vai trazer sofrimento.

Outro ponto é o seguinte, infelizmente relações heterossexuais forçadas por homossexuais, que no objetivo de esconder suas homossexualidade acabam casando e até constituindo família, é uma ação que na grande maioria das vezes não dá certo, pois envolve outras pessoas, mexe com sentimentos pessoais e de outros.

Infelizmente esse relato-desabafo acima é a triste, dolorosa e vida massacrada de muitos gays hoje em todo o mundo, e o desfecho de muitas histórias são como a de Omar Mateen que invadiu a boate Pulse em Orlandox, na Flórida – EU, na madrugada de domingo (12) de junho de 2016, atentado esse que causou a morte de 50 LGBT e deixou 53 outros feridos, e é considerado o tiroteio mais letal na história recente dos Estados Unidos. Fato triste, que segundo amigos, parentes e ex esposa, poderia ter sido evitado, caso a homossexualidade enrustida de Omar não o martirizasse o tanto, ao ponto do mesmo sentir aversão por lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais. 

Outro grande erro são os gays que vivem nesse mundo de grande anonimato, buscam relações perigosas, e infelizmente acabam tendo sua vida ceifada. Conheço vários que perderam sua vida por viver no anonimato e com isso foram barbaramente assassinados.

Por isso, mesmo entendendo e sabendo que não é fácil para muitos assumirem e aceitarem a sua homossexualidade, viva bem, envite manter relações heterossexuais só para dar uma satisfação a sociedade, se dê um tempo, reflita e não faça da homossexualidade um pesadelo em sua vida.

Tags:, , ,

>Link  

Um corpo mais bonito não vai te trazer um namorado
   Blog Diversidade   │     25 de fevereiro de 2017   │     0:00  │  0

Triste e sincera realidade hoje em dia: para a maioria dos gays, um corpo perfeito é bem mais interessante do que uma personalidade marcante.

Basta ter quadradinhos na barriga. Basta sair bem na foto sem camisa. Basta ser gostoso.

Parece até que um “homem gay ideal” precisa ser melhor do que um heterossexual. Mais bonito, mais culto, mais estiloso…

É como se a “falha” da homossexualidade tivesse que ser compensada com uma série de qualidades fabulosas de anúncio de revista. Dentes brancos, cabelo liso e bem penteado, porte atlético, barba desenhada.

Gays lindos e sedutores? Só quando parecem com uma coleção de bonecos Ken…

Daí muita gente acha que, para conquistar um namorado, é preciso antes frequentar uma academia. [Sério?]

É bem verdade que, geralmente, os boys mais gostosos estão procurando homens gostosos como eles. Também é verdade que, quanto mais sarado você estiver, mais irá atrair caras também sarados.

Você, definitivamente, chamará atenção nas festas, no parque, no aplicativo, no supermercado…

Mas será esse mesmo o tipo de cobiça que precisa se está procurando um relacionamento sério?

De um cara normal a objeto sexual

Diego (leitor aqui do site) estava solteiro há anos. Desiludido com os frequentes pés na bunda, ele chegou à conclusão de que o seu problema só poderia ser a aparência física não ideal.

Não que ele fosse obeso e horroroso. Nada nem perto disso! Ele era um cara normal. Desses magrinhos e com a barriga um pouco flácida.

Pois bem, um novo ano começou e, com ele, a nova a vida fitness do Diego – uma das suas resoluções de Réveillon era arranjar um boy, afinal.

E ele levou o plano bem a sério: passou a ir na academia quatro vezes por semana, mudou completamente a alimentação e mandou ver na proteína.

Resultado? Em menos de 6 meses, Diego ficou sarado.

Com os ombros largos e os quadradinhos na barriga vieram também uma enxurrada de convites para sair.

Nosso leitor contou que nunca transou tanto na vida. O seu Grindr nunca bombou tanto, a sua conversão na balada nunca foi tão alta.

Realmente, falta de boy já não era uma reclamação. Nem falta de sexo: oportunidades surgiam sem demandar muito esforço.

O problema foi que, depois de um encontro e outro, o Diego se deu conta de que havia se tornado quase um objeto sexual (palavras dele).

Os boys já lhe viam como um pedaço de carne, pronto para o abate. Nenhum se mostrava interessado em saber mais sobre o cara interessante que morava por baixo do abdômen esculpido.

Daí a noite acabava, os dois gozavam e, no outro dia, era apenas mais uma foda com um homem gostoso para contabilizar.

E a resolução de Ano-Novo? Bom, essa ficou para a próxima sessão de 7 ondas…

Um corpo mais bonito não vai te trazer um namorado. Uma personalidade mais bonita sim.

Não se engane: um corpo escultural pode até te ajudar a conseguir mais sexo, mas não necessariamente vai te trazer um namorado.

Depois de entrar em forma, você poderá descobrir que os seus músculos estão atraindo mais homens interessados somente em diversão e trepadas casuais.

As horas de malhação certamente vão te proporcionar muitas horas de sexo. Mas o amor precisa de algo mais. Sentimentos reais têm dessas coisas…

Não estou dizendo que você deve deixar de ir na academia e comer batata frita todo dia. Claro que não! Apenas que o mesmo foco em cuidar da boa forma seja dedicado para cuidar de você. Que você se preocupe tanto ou mais com a sua autoestima, com o seu desenvolvimento pessoal.

E que fique bem claro que saúde faz parte de tudo isso. Você deve, sim, praticar esportes e ter uma boa alimentação. Mas porque isso te faz bem, não porque deixará o ken da balada de pau duro.

Lembre-se: o seu real valor depende de quem é de verdade e do que tem para oferecer ao mundo, não dá quantidade de olhares que recebe dos caras na rua.

Encontre o seu propósito de vidae deixe-o brilhar. Isso sim é mágico, isso sim é magnético. Só isso vai tornar as suas resoluções de Ano-Novo realidade.

Por: Verônica Vergara

Tags:, , , ,

>Link  

Feliz 2017 da sua melhor forma

 

Nildo Correria - Blogueiro moderador do blog Diversidade

Nildo Correria – Blogueiro moderador do blog Diversidade, veículo de comunicação das Organizações Arnon de Mello.

E chegou 2017.  Vivemos e vivenciamos um 2016 repleto de dificuldades. E como passou depressa!

Agradeço a todos os Amigos-leitores do Blog Diversidade, obrigado por cada participação, cada momento de enriquecimento às postagens, cada palavra de animo, depoimento e críticas construtiva.
Que em 2017 possamos continuar crescendo na Graça e no Conhecimento da sabedoria humana. Em fervente Oração, crença, crendo ou o que cada um queira ter como positividade impossível, confie, creia que tudo dará certo!
Que o Espírito do bom senso continue a nos agraciar com sua maravilhosa presença de consciência e igualdade.
Que neste Novo Ano que se inicia, as ricas bençãos de sabedoria possam vos alcançar, e que cada sonho seja realizado com muita alegria, afinal de conta precisaremos e muito, pois tantas histórias cruéis de preconceito contra as minorias foram vividas e vivenciadas em 2016.
Que a igualdade em 2017 possa chegar, e acompanhada por direitos e deveres, e que possamos ser capazes de torná-la verdade, pois a humanidade ainda precisa caminhar muito para alcançá-la, e isso só será possível com muito amor, respeito e empatia, nem todos estão dispostos a isso,mas caminhemos.
E lembre-se, você não é superior aos outros só porque viajou mais, viu o mundo ou está vivendo por mais tempo que eles. A sua experiência técnica não pode ser mais importante que a emocional. Todos temos características que nos fazem diferentes, mas lembre-se que somos iguais por dentro.
Um Feliz Ano novo da sua melhor forma, pois o legal é vivermos bem consigo mesmo, e não no padrão que a cultura ou religião quer.
Um Ano Novo da sua melhor forma; um Ano Novo da sua melhor forma!
Esses são os votos do blogueiro Nildo Correia

De quem é a culpa pelo assassinato movido a ódio dentro da estação do metrô?
   Blog Diversidade   │     28 de dezembro de 2016   │     14:33  │  0

Todos ficaram horrorizados com a brutalidade do crime que matou Luis Carlos Ruas no Domingo de Natal, na estação Pedro II do Metro-SP.

Um crime movido a ódio contra os homossexuais e uma moradora de rua transsexual, justamente a quem Luis foi defender com extrema coragem e com certeza será sempre lembrado por todos lgts.

De quem é a culpa?

Nas redes sociais muitas publicações se apressaram em responsabilizar os funcionários do Metro, da Estação e segurança, dizendo que não havia ninguém para impedir o que aconteceu. Colocando a culpa do ocorrido nos trabalhadores metroviários.

Em primeiro lugar, a culpa é do ódio que existe no país onde a homofobia não é crime. O ódio disseminado por políticos como Malafaia e Bolsonaro, que vivem de privilégios de cotidianamente incentivam a criminalização dos LGBTs, utilizando -se de um falso discurso religioso para ganhar dinheiro com suas igrejas e manipular a população.

Depois, o fato de não ter ninguém na estação, não tem outro motivo, do que já muito denunciado pelos metroviários , que é a política de privatização de Alckmin que está acabando com o quadro de funcionários do Metro. Não é somente em Pedro II que há apenas 3 ou 4 funcionários trabalhando para dar conta de uma estação inteira, mas em todos os lugares.

Nós metroviários somos totalmente solidários aos familiares de Luis e repudiamos esse crime de ódio que aconteceu no Metro, assim como repudiamos a política de privatização de Alckmin que deixa em risco os funcionários e a população!

Fonte: Sindicato dos Metroviários SP

Tags:,

>Link