Category Archives: Pesquisa

Você é homofóbico? Talvez você seja um gay enrustido !
   7 de novembro de 2022   │     12:31  │  0

A homofobia poderia ser o resultado da repressão de certas pessoas a seus próprios desejos.

O The New York Times publicou em 2012 um artigo com essa manchete provocadora que ligava a homofobia à homossexualidade. O texto expunha o resultado de várias pesquisas. Evidentemente, nem todos os homofóbicos são homossexuais. Você pode ter antipatia ou ódio contra pessoas diferentes de você por diversas razões: educação, crenças de qualquer tipo ou medo. Contudo, essa aversão também pode ser produzida pela repressão de certas pessoas de seus próprios desejos, como diria Freud. É exatamente o que aconteceu com personalidades de certa notoriedade pública. Nos Estados Unidos, vários líderes evangélicos e políticos que classificavam a homossexualidade como pecado ou que defendiam sua classificação como crime se tornaram famosos. Com o passar do tempo se descobriu que aqueles que defendiam essas teses haviam tido experiências com pessoas do mesmo sexo.

Várias pesquisas mostram a correlação entre homofobia e homossexualidade. Uma delas foi publicada em 2012, depois da análise do comportamento de 748 jovens norte-americanos e alemães. No estudo, pediram-lhes que expressassem sua tendência sexual em uma escala de zero a 10, de homossexual a heterossexual. Em seguida, realizaram um exercício de “associação semântica” que consistia em categorizar imagens relacionadas à homossexualidade ou à heterossexualidade, enquanto o computador media o tempo de reação. Os pesquisadores incluíram a palavra eu de modo subliminar. Aparecia apenas 35 milissegundos para que a mente consciente não a notasse. De acordo com a associação semântica, se alguém acredita que é homossexual e antes apareceu a palavra eu, faz uma conexão mais rápida, medida pelo computador.

Os resultados concluíram que mais de 20% dos participantes que se declararam completamente heterossexuais apresentaram alguma discrepância em suas respostas. E o mais surpreendente: essas pessoas estavam mais inclinadas a promulgar políticas contra os homossexuais ou a impor punições mais severas ao grupo por crimes menores. Quando os pesquisadores aprofundaram na educação que os participantes haviam recebido, encontraram um elo comum: aqueles cujas respostas foram mais discrepantes durante o exercício tinham crescido em ambientes muito controladores, com pais muito beligerantes contra a homossexualidade.

Em 1996, já tinha sido realizada uma pesquisa que media a excitação de 64 homens por meio da espessura de seu pênis enquanto assistiam a vídeos de sexo entre heterossexuais e entre homossexuais. Aqueles considerados homofóbicos negaram que gostassem de vídeos entre pessoas do mesmo sexo. No entanto, seus pênis diziam outra coisa: estavam excitados.

As pesquisas anteriores ainda são controversas, tanto pelos métodos selecionados e os porcentuais sugeridos como pela não repetição dos resultados. É o que afirma um artigo publicado em 2013 que não encontrou correlação entre a aversão e as tendências homossexuais, e que foi igualmente refutado.

Parece óbvio insistir em que nem todos os homofóbicos são homossexuais, mas é possível que em alguns casos haja alguma relação, como se deduz de várias investigações científicas ou, pelo menos, de algumas declarações de pessoas que reconheceram o vínculo. Vale a pena ser mais sincero consigo mesmo e, como sugere Richard Ryan, um dos pesquisadores da Universidade de Rochester, despertar a compaixão pelos próprios intransigentes. Talvez eles tenham vivido em ambientes muito controladores e estejam lutando contra uma parte de si mesmos.

Tags:, , ,

Lista aponta 72 países do mundo perigosos para ser gay; veja quais
   13 de março de 2021   │     17:55  │  0

No Brasil, a LGBTfobia, criminalizada recentemente por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), ainda é responsável por muita violência ,  assassinatos e  constrangimentos de pessoas da comunidade LGBTQIA+ . A situação é muito ruim, mas em outros 71 países do mundo é ainda pior: a homossexualidade é considerada crime. A gravidade de tal infração é tão alta que, em 13 países, pode condenar gays e lésbicas à pena de morte, em muitos dos outros pode levar à prisão.

A informação é de um relatório da Associação Internacional de Gays e Lésbicas, atualizado até 2016.

Somente na África é possível ser preso em 31 nações por ser lésbica ou gay. São elas: Argélia, Botsuana, Burundi, Camarões, Comores, Eritreia, Etiópia, Gâmbia, Gana, Guiné, Quênia, Libéria, Líbia, Malauí, Mauritânia, Maurício, Marrocos, Namíbia, Nigéria, Senegal, Serra Leoa, Somália, Sudão do Sul, Sudão, Suazilândia, Tanzânia, Togo, Tunísia, Uganda, Zâmbia e Zimbábue. Recentemente, a Angola descriminalizou a homossexualidade .

Na Ásia há outros 23 países em que a detenção pode ocorrer apenas por parecer ser homossexual: Afeganistão, Bangladesh, Butão, Brunei, Gaza (no território palestino ocupado), Índia, Sumatra Meridional e Achém (na Indonésia), Iraque, Irã, Kuwait, Líbano, Malásia, Maldivas, Mianmar, Omã, Paquistão, Catar, Arábia Saudita, Singapura, Sri Lanka, Síria, Turcomenistão, Emirados Árabes Unidos, Uzbequistão e Iêmen.

Nas três Américas o relatório totaliza 11 nações: Antígua e Barbuda, Barbados, Belize, Dominica, Granada, Guiana, Jamaica, São Cristóvão e Névis, Santa Lúcia, São Vicente e Granadina e Trinidad e Tobago. Já na Oceania, mais seis países: Ilhas Cook (associadas à Nova Zelândia), Kiribati, Papua Nova Guiné, Samoa, Ilhas Salomão, Tonga e Tuvalu.

Entre os 72 países, 13 localizados na África e na Ásia, com destaque para a região do Oriente Médio, se destacam por permitirem a aplicação de pena de morte para o crime de ser homossexual. São os países mais perigosos do mundo para ser gay:

1) Sudão
2) Irã
3) Arábia Saudita
4) Iêmen
5) Mauritânia
6) Afeganistão
7) Paquistão
8) Catar
9) Emirados Árabes Unidos
12) Iraque
11) Síria (em algumas partes)
12) Nigéria (em algumas partes)
13) Somália (em algumas partes)

 

Tags:, , , , ,

Centro de Acolhimento realiza pesquisa para conhecer o perfil do público LGBTQIA+ e de pessoas com HIV
   11 de fevereiro de 2021   │     23:03  │  0

O Centro de Acolhimento Ezequias Rocha Rego (CAERR) está realizando uma pesquisa para traçar o perfil do público LGBTQIA+ de Alagoas e de pessoas que convivem com o HIV/AIDS no estado.

O questionário servirá de base para a elaboração de atividades e projetos do CAERR, como criação de cursos e atendimento ao público-alvo.

Todas as informações cedidas pelos participantes da pesquisa seguem a Lei de Proteção de Dados, N.º 13.709, de 14 de agosto de 2018, que garante o sigilo, proibindo a exposição de dados pessoais.

A pesquisa pode ser respondida através do link AQUI

Mais informações através das mídias sociais oficiais do CAERR (@caerr_alagoas) ou pelo telefone/whatsapp (82) 99644-1004

Tags:, , , , , ,

Quase 60% dos gays tende a envelhecer solteiro contra 39% das lésbicas
   4 de agosto de 2018   │     21:49  │  0

Uma nova pesquisa da AARP, que entrevisou 1.782 LGBTs adultos, concluiu que a maior parte dos homens gays tende a envelhecer fora de um relacionamento estável, já que, segundo os resultados, cerca de 57% dos homens gays com mais de 45 anos está solteiro.

Os relatórios também constataram que, enquanto isso, apenas 39% das lésbicas acima de 45 anos é solteira. Já entre homens e mulheres bissexuais, a taxa chega a  48%.

“A chance de se envelhecer sem estar casado entre homens gays é notavelmente maior e isso influencia diretamente nas necessidades e tipos de serviços direcionados a este público”, conclui a pesquisa em seus resultados.

Outro dado revelado foi quando perguntados sobre os vínculos afetivos das amizades. Dentre os entrevistados, maior parte dos homens gays também tem maior dificuldade de estabelecer relações duradouras do que as lésbicas, seja entre pessoas LGBTs a héteros, de parentes a amigos.

Este não é o primeiro estudo a constatar estas diferenças. Em 2013, uma pesquisa mostrou que 63% dos homens gays acima de 60 anos vivem fora sem um relacionamento.

Em 2011, um outro estudo realizado pela Stonewall Organization do Reino Unido, descobriu que homens gays e bissexuais acima de 55 anos tem três vezes mais chances de estarem solteiros (40%) do que homens héteros (15%).

Por: Pedro HMC

Tags:, , ,

O GGAL quer saber! Você LGBTI+ alagoano, já foi vítima de discriminação?
   4 de maio de 2018   │     11:18  │  0

Pensando em iniciar uma série de levantamentos de soma da violeviol contra a população LGBTI+ alagoana, o Grupo Gay de Alagoas – GGAL está realizando uma enquete virtual, com o objetivo de ter uma base nldo número de lesblésb, gays, bissexuais, travestis, transexuais, intersexuais e outros, que já foram vítimas de violência em virtude da sua orientação sexual, ou identidade de gênero.

A enquete é um levantamento simples, não tem base exata de pesquisa, mas servirá para se ter uma base de vítimas, além das que buscam a instituição para denunciar alguma forma de preconceito vivida.

Para participar é muito simples, basta clicar AQUI , e escolher uma das opções.

Tags: