Monthly Archives: dezembro 2017

Que em 2018 vidas racionais não sejam seifadas como bichos de abate
   Blog Diversidade   │     30 de dezembro de 2017   │     17:41  │  0

Por: Nildo Correia

2017 para mim termina com uma sensação de insegurança, falta de humanismo e com uma boa dose de injustiça, o assassinato da travesti cearense Dandara dos Santos, de 42 anos, morta a pauladas, espancamento e tiros no dia 15 de fevereiro de 2017 vai bem mas além dos meus medos pessoas, da mesma forma em que despertou algo que a sociedade fingia não perceber (ou fazia questão de ignorar), a violência em que a população trans é submetida no Brasil.

O crime ocorreu na rua em plena luz do dia, foi filmado e apresentado a sociedade nas redes sociais como forma de prêmio, e prova que essa banalização da violência está nos tornando seres inracionais. 

Jornais de todo o mundo, como The Mirror, BBC, The New York Times, noticiaram o assassinato, mostraram o vídeo e colocaram em pauta a pouco falada transfobia. Ocasionou até o projeto de Lei Dandara dos Santos, que quer fazer do LGBTcídio crime.

Mesmo assim uma coisa é certa, nada apagará da memória de muitos, as imagens do abate violento que foi o assassino de Dandara. Abate, porque abate? Eu lhe respondo: abate sim, pois nem todo bicho morreu, morre e nem morrerá da forma em que Dandara, e muitas trans e outros seres racionais perderam suas vidas.

Que 2018 chegue com mais humanismo, traga em sua bagagem esperança de dias melhores.

Tags:,

>Link  

Maceió Verão 2018 terá barraca LGBTI+
   Blog Diversidade   │     29 de dezembro de 2017   │     15:28  │  0

Renda arrecadada será usada em prol da abertura da primeira Casa de Acolhimento LGBTI+ de Alagoas.

Ela está de volta, depois de muitos anos guardada a sete chaves, desde 2005, a barraca Fruta Gogoya,  o point mais animado e quente do Maceió Fest, voltará a todo vapor no Maceió Verão 2018.

O point será montado em um dos locais estratégicos do estacionamento de Jaraguá, funcionará durante os quatro sábados do mês de janeiro, nos dias do Maceió Verão 2018, das 16 ás 23 horas, e é uma realização do Grupo Gay de Alagoas, entidade fundadora do movimento LGBTI+ no Estado de AL.

Cerveja gelada, petiscos e caldinhos em grandes variedades, gente bonita das mais diversificadas tribos, drag’s, Dj’s, gogo boys, muita azaração, e o melhor de tudo pode beijar na boca.

Mas nem tudo será entretenimento, o espaço também será um ponto de apoio, onde o público poderá adquirir gel lubrificante, preservativo, material informativo, e receber informações de prevenção, direitos e deveres voltados para a população LGBTI+, negros, mulheres e outras populações em situação de vulnerabilidade social.

Conheça a história da tradicional Barraca mais famosa do Maceió Fest. 

A barraca Fruta Gogoya, surgiu em 1988, época em que o fundador  Geo Santos fixissou em terras alagoana, a primeira bandeira do arco-íris, símbolo da resistência e luta LGBTI+.

O nome veio em homenagem ao Tropicalismo, com a música Fruta Gogoya, um refrão regional do recôncavo baiano.

Em 2000 a barraca virou bar, e funcionava na Av. Jatiúca, e se chamava Fruta  Gogoya Petiscos e Coquetéis, e durou dois anos, em sociedade com o artista Márcio Carvalho, idealizador da personagem Suzete Carvalho, e Pedrinho. 

Ao longo dos cinco anos de Maceió Fest, a barraca  Fruta Gogoya foi o point do carnaval fora de época da capital alagoana, que mais concentrou pessoas, gente de todas as tribos lotaram e passaram pela barraca, e anualmente, ao longo dos cinco anos de Maceió Fest, o triângulo rosa do corredor  da folia foi ovacionado pela banda Chiclete com Banana e Ivete Sangalo, “a Diva Gay do Maceió Fest, que sempre que seu trio passava na frente da barraca, fazia questão de parar e promover grandes beijaços, e sem sobra e nem sombra de dúvidas, os primeiros em todo país.

Então você que vai ao Maceió Verão 2018 não esqueça, o close certo é na Barraca Fruta Gogoya.

Fonte: ASCOM GGAL

Tags:, ,

>Link  

Nota de pesar

É com um imenso pesar que o Grupo Gay de Alagoas – GGAL trás a triste notícia do falecimento do fundador do movimento LGBTI+ no Estado da Paraíba – Luciano Bezerra, presidente do Movimento do Espírito Lilás – Mel.

Ele parte deixando-nos muitas lições de amor, amizade, profissionalismo, ética ,humanidade e um legado imenso de conquistas, não só em prol da comunidade LGBTI+ na Paraíba, mas em todo o país.

Aclamação ao Líder do Espírito Lilás

As pessoas são insubstituíveis em sua existência, e quando são especiais, além da falta que fazem àqueles que as amam, deixam o mundo mais pobre. Sem o nosso amigo, o mundo perde um pouco do seu brilho, alegria, cor e contabilizamos uma pessoa a menos na luta contra a homolesbotransfobia no Brasil.

Não temos palavras para expressar os nossos sentimentos, com isso só pedimos alento aos corações de familiares e amigos de nossa abelha rainha, fundador do Movimento do Espírito Lilás da Paraíba – MEL, Luciano Bezerra.

Att,

Nildo Correia – Pres. do Grupo Gay de Alagoas

Denúncias de agressões contra LGBTI+ agora podem ser direcionadas a CGU através de App
   Blog Diversidade   │     23 de dezembro de 2017   │     12:47  │  0

Dados também serão utilizados para subsidiar a priorização de ações do governo à população LGBTI

O Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da União (CGU) começou a receber denúncias feitas pelo aplicativo TODXS relativas à discriminação e agressão a membros da comunidade LGBTI (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros, Intersexuais). Lançado em junho deste ano, o aplicativo já foi baixado por mais de 3 mil pessoas.

O objetivo da parceria com a startup social ‘é a triagem e o correto direcionamento, por meio da Ouvidoria-Geral da União, aos órgãos e entidades púbicos responsáveis pela adoção de providências ou medidas preventivas’.

A TODXS é a primeira instituição a aderir ao Me-Ouv, lançado pela Controladoria em novembro, que permite o acesso automatizado da startup ao Sistema Informatizado de Ouvidorias do Poder Executivo Federal (e-Ouv).

Além do tratamento adequado das denúncias, os dados coletados serão utilizados para subsidiar o planejamento e a priorização de ações de governo voltadas à população LGBTI, em diversas áreas como Direitos Humanos, Educação, Saúde e Segurança.

De acordo com o ouvidor-geral da União, Gilberto Waller, a parceria com a TODXS ‘é uma mudança importante nos paradigmas de comunicação entre governo e cidadão, inaugurando uma forma inovadora de diálogo entre grupos da sociedade e o Estado’.

“Se nós queremos trazer a voz do cidadão para o centro da tomada de decisão do governo, é necessário que busquemos essa voz onde quer que ela esteja. Nesse sentido, é um grande avanço privilegiar a forma e os meios que o cidadão quer se comunicar”, afirma.

Além de coletar denúncias de violência LGBTIfóbica e avaliar o atendimento policial no caso de ter sido feito Boletim de Ocorrências, o aplicativo TODXS App ainda oferece duas opções aos usuários – consultar normas jurídicas específicas à comunidade LGBTI, através de palavras-chaves, do estado onde se encontra o usuário ou por tema (como família, educação, nome social), e consultar organizações representativas ou de apoio por todo o Brasil.

O aplicativo compila mais de 800 normas jurídicas – decretos, pareceres, etc – de todo o país.

As pesquisas foram feitas junto à Secretaria de Direitos Humanos do Governo Federal, em assembleias legislativas, câmaras municipais e prefeituras de cidades com mais de 300 mil habitantes, que disponibilizam seus dados em plataformas online.

O objetivo da organização é alcançar 10 mil pessoas até o final de 2018.

“Trabalhamos pela população LGBTI+, através de diversas ações que eduquem a sociedade e reduzam o cenário de violência. Concluir esses seis primeiros meses com uma parceria com a CGU nos deixa imensamente felizes. Estamos alinhados para construir uma sociedade mais segura para todos”, afirma Ewerton Carlos Assis, diretor de tecnologia da TODXS.

Segundo dados do Grupo Gay da Bahia, até setembro 277 pessoas foram mortas, vítimas de LGBTIfobia, ou seja, sua orientação sexual e/ou identidade de gênero foi o motivo do crime.

O Brasil é considerado pela associação Transgender Europe um dos países que mais mata transexuais, segundo dados de 2008 a 2016.

A integração com aplicativos cívicos é uma forma de facilitar a participação da sociedade na análise e, consequente, melhoria dos serviços públicos. O Me-Ouv faz parte do Programa de Avaliação Cidadã de Serviços e Políticas Públicas (Procid), criado pelo Ministério da Transparência (CGU) em 2016.

Tags:, , ,

>Link  

Pabllo Vittar é atração principal de Réveillon Virada 2018 em Maceió
   Blog Diversidade   │     20 de dezembro de 2017   │     16:13  │  0

Este ano, quem escolher Maceió como destino das suas comemorações de ano novo pode se preparar para brindar a virada em grande estilo com a drag queen Pabllo Vittar. Sendo um dos nomes mais comentados do Rock In Rio 2017, após uma apresentação com a cantora norte-americana Fergie no festival, e a principal atração revelação 2017 da premiação do canal Multishow, a artista estreia no Virada 2018 com uma mega show.

Única artista drag queen a emplacar três músicas no top cinco do serviço de música digital Spotify, a maranhense de 22 anos é uma das revelações de 2017 e já arrecadou cerca de 150 milhões de visualizações com seus videoclipes no Youtube. Em momento ímpar na carreira, Pabllo recentemente lançou seu disco de estreia, ‘Vai Passar Mal’, e estrelou, junto com a cantora Anitta, uma parceria com o trio norte-americano de música eletrônica Major Lazer, obtendo 20 milhões de visualizações em 24 horas com o videoclipe da música ‘Sua Cara’.

A proposta do Virada 2018 é fazer uma mistura das festas do selo COOL, trazendo diversidade musical e uma alternativa diferenciada para o público da cidade. Além da cantora dona dos hits ‘Corpo Sensual’ e ‘K.O.’, o evento, que promete surpreender, ainda contará com atrações nacionais como a celebridade digital, Lana Almeida e o DJ carioca, Rafael Newbold. Além das atrações locais, como o samba e o MPB de Naná Martins e a explosão do grupo drag Boom Drag.

O local escolhido como palco do Virada 2018 foi a casa de shows Armazém Uzina, no centro do bairro cultural Jaraguá, situada num edifício histórico que tem capacidade para receber até 2 mil pessoas com uma super estrutura e mais de 15 espaços espalhados no local com lounges, fumódromo e praça de alimentação.

Garantindo acessibilidade e fácil locomoção ao evento, foram criados dois espaços com preços que variam entre R$ 140 (pista) e R$ 270 (área K.O. – com direito a open bar e café da manhã) que darão acesso às atrações durante as mais de 8 horas de celebração. Quem garantir a área K.O. terá acesso a um café da manhã matinal, além de litros de vodka, cerveja, catuaba, água e refrigerante, enquanto que o ingresso pista terá disponível uma praça de alimentação com quiosques e bares espalhados pelo local.
O evento é para maiores de 18 anos e conta com o apoio das empresas Hotel Tropicalis, Restaurante Jangá, Bodega do Sertão e Fisioteravida.

Serviço
Réveillon Virada 2018
Endereço: Armazém Uzina (Rua Sá e Albuquerque, 367ª, no Jaraguá)
Horário: Dia 31 de dezembro de 2017, a partir das 22h30
Ingressos: Disponíveis através do site www.virada2018.com.br ou nos stands do Viva Alagoas, Acesso Vip e Folia Brasil
Valores: R$ 140 (pista) e R$ 270 (área K.O. – open bar)
Mais informações: 82 99917-0787

Tags:, , ,

>Link