Vereadores aprovam Moção de Apoio a vítimas de atentado
   Blog Diversidade   │     26 de junho de 2015   │     14:50  │  0

Vereador Guilherme Soares apresentou ainda requerimento para que caso seja levado à cúpula da Segurança Pública de Alagoas em caráter oficial

Vereador também pede a Câmara Municipal de Maceió que cobre da cúpula da segurança pública que investigue o caso, e que seja tomada as providencias cabíveis.

Vereador também pede a Câmara Municipal de Maceió que cobre da cúpula da segurança pública que investigue o caso, e que seja tomada as providencias cabíveis.

O Poder Legislativo municipal aprovou, na sessão ordinária desta quinta-feira (25), por unanimidade, dois requerimentos de autoria do vereador Guilherme Soares (PROS) que tratam do atentado a bala ocorrido na noite de sábado, em um bar no bairro de Mangabeiras, área nobre da Capital. Um deles solicita que a Câmara emita Moção de Apoio e Solidariedade às vítimas da ocorrência e outro para que o fato seja oficiado à Corregedoria da Polícia Militar, ao Comando de Policiamento da Capital, à Secretaria de Estado de Defesa Social e Ressocialização de Alagoas e ao Conselho Estadual de Segurança.

“Não se pode permitir que casos assim, de intolerância e homofobia, se tornem comum. É preciso reagir e punir os agressores de forma exemplar”, disse o autor das proposições Vereador Guilherme Soares.

A iniciativa recebeu o apoio de vários parlamentares, além de pedido dos vereadores Heloísa Helena (PSOL), Pastor Marcelo Gouveia (PRB), Luiz Carlos Santana (DEM), Wilson Jr (PDT) e Silvânio Barbosa (PSB) para subscrever o requerimento de Moção de Apoio. “Não podemos admitir qualquer forma de violência e homofobia. Temos que repudiar a intolerância e o que aconteceu em Maceió foi um caso muito grave”, disse Gouveia.

A vereador Heloísa Helena lembrou que a Polícia Militar já adotou medidas punitivas preliminares à sargento PM Léa Soares, autora dos disparos e ameaças direcionadas às vítimas. “Mas, o requerimento é uma ótima iniciativa, pois mostra que o Poder Legislativo de Maceió está atento ao que acontece na cidade e vamos acompanhar as investigações abertas pela própria PM”, afirmou.

Para o vereador Wilson Jr, o caso se caracteriza como homofobia, pois a sargento fez várias agressões verbais às vítimas. Segundo ele, após os disparos, a sargento ameaçou voltar com uma metralhadora.

Para o vereador Silvânio Barbosa, o atentado aconteceu por um motivo fútil, o som do bar, contra a dona do estabelecimento, que é devidamente regularizada e autorizada a trabalhar no local. Outra vítima foi a cantora alagoana Elaine Kundera, uma personalidade reconhecida em todo o Estado. Ela chegou a ser atingida no braço por estilhaços de um dos disparos.

De acordo com o presidente da Câmara, vereador Kelmann Vieira (PMDB), o caso deve servir para a reflexão das pessoas. “Há uma onda de intolerância crescente no País e isso precisa ser combatido. Não se pode resolver sair por aí, querendo resolver os problemas por conta própria, principalmente quando se trata de uma militar que tem a obrigação de promover a segurança das pessoas. O caso, realmente, foi um absurdo”, destacou.

Fonte: Assessoria de comunicação da Câmara Municipal de Maceió

Tags:, ,

>Link  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *