Dionisio Neto e Reinaldo Lourenço voltarão a repetir a parceria teatral no espetáculo Transe remix #7
   Blog Diversidade   │     13 de janeiro de 2015   │     12:00  │  0

TRANSE remix #7 é o novo e inédito espetáculo de DIONISIO NETO, autor, ator e diretor que comemora 20 anos de carreira desde sua estreia em 1995 com a Trilogia do Rebento (Perpétua, Opus Profundum e Desembestai!).

Teatro + show + performance, este espetáculo sensorial e contemporâneo é a síntese da dramaturgia única do autor, que em 2015 também lança a coletânea “7 peças” pela Giostri Editora, com prefácio de Otávio Frias Filho e textos teóricos sobre sua obra de Samyr Yazbek, Nicolau Sevcenko, Ivan Feijó, Francisco Carlos, Alejandro Mansilla, Luis Claudio Machado e Eugênio Lima, celebrando sua obra autoral.

3 personagens: O HOMEM, A MULHER e O ANIMAL em um texto carregado de imagens e poesia dramática sobre os instintos básicos de sobrevivência do ser humano.

A guitarrista Monica Agena (Natirrut´s, Moxine, Krepax, Emicida) executa em sua guitarra a trilha sonora ao vivo.

Os figurinos de Reinaldo Lourenço (um dos mais renomados estilistas brasileiros, com quem Dionisio Neto já trabalhou em Seios e Antiga) dão o tom futurista do espetáculo com um perfume étnico surrealista, gerando imagens únicas, originais e de extrema teatralidade.

A cenografia cubista de David Schumacher ambienta o espetáculo em uma cenografia de show techno- minimalista simulando uma floresta tropical artifical, com neóns em cores verde, amarelo e vermelho para os personagens e azul para a conclusão.

A iluminação de show segue as cores verde, amarelo e vermelho, evocando as cores dos sinais de trânsito, e também utiliza-se de recursos tecnológicos como raio laser, estrobos, globos espelhados, criando a atmosfera de caleidoscópio teatral.

O resultado é um videclipe teatral alucinógino e lisérgico que evoca sensações primitivas nos espectadores levando-os a uma experiência sensorial viva.

Os personagens são arquetípicos. O Homem é Sísifo, mito grego condenado a levar uma rocha até o alto de uma montanha e quando ela chegar lá no pico, ele a empurra para baixo, infinitamente, como metáfora da repetição dos nossos dias. Assim, o Sísifo do espetáculo está condenado a caçar seu alimento todos os dias, infinitamente, para sua sobrevivência.

O animal é a personificação do mal contemporâneo em seu zeitgeist corrosivo. A Mulher é Gaya, a Terra, que ama e protege seu filho Sísifo.

Como em Opus Profundum (1996), peça-festa-manifesto-show, considerada pela crítica especializada como “um dos mais belos espetáculos da história do Festival de Teatro de Curitiba”, Dionisio Neto optou por também dirigir o espetáculo, de volta às suas raízes, na busca de uma obra de arte absolutamente autoral. Para compor a equipe, convocou um time de peso, com quem ele já vem trabalhando há algum tempo em projetos paralelos de música e teatro.

SINOPSE: Em formato de show teatral, TRANSE remix #7 apresenta a história de SÍSIFO, um homem que está de tocaia a espera da sua caça do dia. Em um turbilhão imagético carregado de drama e poesia, ele dialoga com sua mãe JANAÍNA, que lhe dá conselhos sobre a conduta da caça e o aconchego ancestral materno. O ANIMAL aparece e o conflito se estabelece quando eles se encaram frente a frente.

Tags:, , ,

>Link  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *