Cantora Alagoana Lança livro de literatura Erótica e CD “Um sentimento por segundo”
   Blog Diversidade   │     18 de fevereiro de 2013   │     10:19  │  0

Cantora Natalhinha Marinho

Literatura erótica e canções de ritmos variados resultaram nas mais recentes obras da artista Natalhinha Marinho. Há 07 anos tocando na noite de Maceió e participando de vários projetos culturais, Natalhinha lança, pela internet, seu primeiro álbum, intitulado “Um sentimento por segundo”, acompanhado do livro “Recortes”, composto por 11 contos.

O livro e o álbum dialogam entre si. Doses de erotismo e boemia fazem parte do conjunto da obra. Para Natalhinha, o romantismo e o fluxo de ideias e sentimentos formam a unidade artística de suas criações. “Não foi o livro que surgiu do cd ou vice-versa, os dois nasceram juntos. São personagens fictícios, viagens de casos e acasos, metáforas com elementos musicais para o erotismo que resultaram nos contos e músicas”, completou.
“Poucas Cinzas” é a música que demonstra bem a interação entre o livro e o cd. O último conto do livro serviu como ponto de partida para a criação desta música, que fala, da nostalgia da quarta-feira de cinzas e de maneira irreverente possui elementos de marchinha carnavalesca e de axé music.
As músicas inéditas de autoria da artista possuem variedade rítmica de reggae, samba, marchinha de carnaval, balada romântica, blues, entre outros. Na percussão elementos inusitados, como a utilização do som de risco do isqueiro, dão um tom experimental à música que tem o mesmo nome do álbum “Um sentimento por segundo”. É também nesta canção que Natalhinha firma a única parceria de composição do cd, junto com Janeo Amorim e Mahelvson Chaves.
Magno Almeida, formado em letras, membro da Cia. do Chapéu, contribuiu com “Recortes” escrevendo o posfácio. Para ele, o que mais chama atenção é a literatura “selvagem e livre”. “Os rótulos de enquadramentos teóricos do texto literário estão cada vez mais líquidos hoje, coisa que me encanta totalmente porque literatura tem que, para começo de conversa, ser totalmente ‘selvagem e livre’. E é justamente dessa forma que te menciono e te enquadro. Eu adoro esse erotismo, essa pornografia não declarada, mas intencional, essa passagem da língua pelo corpo, meu, seu, alheio, esporádico. E vi tudo isso”, afirmou Magno.
O álbum e o livro lançados virtualmente, através da rede social: www.facebook e do blog de Natalha Marinho. O cd foi gravado por Marinho e Janeo Amorim, com participações dos instrumentistas Chico Torres, Mahelvson Chaves e Randerson Almeida. Já o livro foi revisado por Renata Czarny e tem fotografias de Jessyka Benário e Natalhinha Marinho.
Natalhinha Marinho iniciou seus trabalhos musicais em 2005, com a banda Olorum. Em 2007, montou o grupo Strada BR que participou de duas edições do Festival Universitário de Primavera, promovido pela Universidade de Ciências Médicas de Alagoas (Uncisal). Ainda em 2007 ingressou na Associação Artística Cia. do Chapéu, ficando responsável pela composição e execução da trilha sonora do espetáculo “Alice!?” e na produção musical de outras performances desenvolvidas pela companhia. Desde 2010 participa do grupo Tridestilados e da banda Fulô de Maracujá. Atualmente participa do espetáculo “Uma Noite em Tabariz”, da Cia. do Chapéu; da banda Cazuadinha, acompanha a cantora Roberta Aureliano, além de desenvolver seus trabalhos individuais.
por: Debora Muniz – Jornalista

 

 

>Link