“Não consigo imaginar nada pior do que ser criado por dois pais gays” – diz ator Rupert Everett
   Blog Diversidade   │     17 de setembro de 2012   │     23:36  │  2

“Não consigo imaginar nada pior do que ser criado por dois pais gays”. Apesar de colecionar títulos e homenagens de diversas organizações e grupos de apoio à comunidade LGBT, o ator inglês Rupert Everett não hesitou ao declarar este ponto de vista sobre os direitos dos homossexuais à adoção de crianças. A polêmica foi levantada pelo artista — que assumiu sua homossexualidade em 1989 — em entrevista publicada pelo jornal britânico The Sunday Times no último domingo, 16.

“Algumas pessoas podem discordar de mim. Tudo bem! É apenas minha opinião”, ressaltou Everett, que também se preocupou em salientar sua divergência em relação às instituições que militam pelos direitos das minorias sexuais. “Não falo em nome da comunidade gay. Na verdade, eu não me sinto como parte de comunidade alguma”, ele enfatizou. “A única comunidade à qual pertenço é a humanidade, e já temos crianças demais neste planeta”, destacou o ator de O casamento do meu melhor amigo (1997).

Ben Summerskill, membro da diretoria do maior grupo pela igualdade de direitos civis na Europa, o Stonewall, rebateu as declarações de Rupert. “Não existe absolutamente nenhuma evidência de que crianças criadas por pais gays sofram pelo modo como são criadas ou na maneira em que se desenvolvem”, afirmou o diretor ao diário britânico The Telegraph. Summerskill sugeriu ainda que “Rupert deveria sair mais para conhecer os fatos como eles são”.

Por assumir sua homossexualidade, há 23 anos, através do livro Hello, Darling, Are You Working?, Rupert Everett afirma ter perdido oportunidades de emprego no mundo do cinema. Ele chegou a recomendar que outros atores em situações parecidas mantivessem oculta a orientação sexual. Na entrevista ao The Sunday Times desta semana, o assunto voltou à baila quando a mãe do ator, que também participava da conversa, explicou como se sente em relação à vida afetiva do ator.

Sara McLean Everett, de 77, conta que já foi apresentada ao namorado do filho, mas adoraria que ele tivesse uma companheira do sexo oposto. “No passado, eu disse que gostaria que Rupert fosse hétero e provavelmente ainda me sinto assim. Eu gostaria que ele tivesse uma bela esposa e filhos”, acrescentou. “Mas eu também acredito que uma criança precisa de uma mamãe e de um papai. Eu disse isso e ele reagiu muito bem. Ele não fica bravo comigo, apenas sorri”, relata a mãe do ator.

>Link  

COMENTÁRIOS
2

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *