Monthly Archives: maio 2012

Nova York e São Paulo “The Two Bigger Gays metropolises of the Planet”
   Blog Diversidade   │     27 de maio de 2012   │     22:04  │  2

O mês de Junho de 2012 em Nova York será mais colorido, é que acontece o festival Heritage of Pride, uma celebração do Orgulho Gay que toma toda a cidade.

O evento ocorre de 16/06 a 24/07 também nas cidades de Manhattan, Staten Island, Bronx, Brooklyn e Queens.

“Desde a aprovação do casamento civil entre pessoas do mesmo sexo ano passado, ainda não tinha acontecido um melhor momento para experimentar a energia e diversidade da cidade com essa extensão de dias de atividades LGBT”, disse George Fertitta, CEO da NYC & Company, empresa que promove o turismo na Big Apple LGBT.

As atrações são Cyndi Lauper, Chris Salgardo, Phyllis Siegel e Connie Kopelov serão os comissários para a marcha Heritage of Pride no domingo, 24 de junho, além dessas megas atrações o evento abre as comemorações LGBT em Nova York, celebrando o 1969 Stonewall Riots (movimento de luta contra o preconceito aos homossexuais em Nova York no fim da década de 1960), e apresentar a lista de uma semana de atividades, em Manhattan, para mostrar a cidade como um dos destinos mais populares do universo LGBT.

No dia 16 de junho, das 15h às 18h, o East River Bandshell será palco de artistas e palestrantes motivacionais da comunidade LGBT para dar início aos eventos da Pride Week. O evento é gratuito e aberto ao público.

Mais tenham certo que todas as expectativas estão na grande marcha, que ocorre no dia 24, considerada a grande manifestação dos direitos dos gays e do reconhecimento de causas como a luta contra a Aids.

No dia 24/07 a programação será fechada com chave de ouro com a mega festa Dance on the Pier, tendo como inicio às 20h e se estendendo ate às 2h da madrugada, no Píer 57. A festa arrecadará fundos para eventos da NYC’s LGBT Pride Week e organizações das comunidades envolvidas como já é de praxe.

Já no país do futebol, mais miscigenado e que leva o título de realizar a maior parada Gay do mundo, acontece em SP, as atividades em alusão a luta pela igualdade de direitos, da população LGBT, a programação teve inicio este ano dia 09/05 e seguirá ate o dia 10/06, dia em que acontece o maior evento de massa Gay do mundo, a parada do Orgulho LGBT de São Paulo, que este ano realiza sua 16ª edição.

O evento levou a Avenida Paulista ano passado mais de 4 milhões de pessoas, segundo a organização do evento. A movimentação gerada atrai as atenções e estimula a oferta de programas “ culturais, educativos, lazer, cursos entre outros” ao público GLS e a curiosos, que buscam diversão no meio do movimento social, além, é claro, de estimular o turismo na Capital e geração de renda a cidade de São Paulo, o evento só perde em arrecadação aos cofres públicos para a Fórmula 1, “segundo o balanço de lucros da prefeitura e governo do estado de São Paulo.

Casas noturnas, bares e restaurantes que atendem ao público ganham destaque na agenda cultural, através do portal oficial do evento: www.paradasp.org.br , é possível acompanhar a programação e conhecer todos os estabelecimentos gay friendly.

Não esquecendo que dia 08/06 o Blog DIVERSIDADE desembarca em Sampa, para acompanhar os três últimos dias deste mega evento, e trazer muitas novidades em babados quentíssimos e fortes da noite paulistana, na companhia do Colunista Crítico do Blog – Dino Alves e do Colunista Social Flávio Cansanção.

Também estará presente nesta trupe a Drag Queen  Oficial da Parada do Orgulho LGBT de Maceió – edição 2011 – Melyna Starr Ryos,   que estará lá representando o estado de Alagoas no Concurso Brazilian Drag dia 09/06, o evento acontecerá em uma luxuosíssima e badalada casa Gay de SP.

Melyna foi a drag destaque de 2011, concorreu e ganhou as quatro fazes eliminatória do concurso, onde teve seu término no Teatro Gustavo Leite.

>Link  

Nova York e São Paulo “The Two Bigger Gays metropolises of the Planet”
   Blog Diversidade   │       │     22:04  │  2

O mês de Junho de 2012 em Nova York será mais colorido, é que acontece o festival Heritage of Pride, uma celebração do Orgulho Gay que toma toda a cidade.

O evento ocorre de 16/06 a 24/07 também nas cidades de Manhattan, Staten Island, Bronx, Brooklyn e Queens.

“Desde a aprovação do casamento civil entre pessoas do mesmo sexo ano passado, ainda não tinha acontecido um melhor momento para experimentar a energia e diversidade da cidade com essa extensão de dias de atividades LGBT”, disse George Fertitta, CEO da NYC & Company, empresa que promove o turismo na Big Apple LGBT.

As atrações são Cyndi Lauper, Chris Salgardo, Phyllis Siegel e Connie Kopelov serão os comissários para a marcha Heritage of Pride no domingo, 24 de junho, além dessas megas atrações o evento abre as comemorações LGBT em Nova York, celebrando o 1969 Stonewall Riots (movimento de luta contra o preconceito aos homossexuais em Nova York no fim da década de 1960), e apresentar a lista de uma semana de atividades, em Manhattan, para mostrar a cidade como um dos destinos mais populares do universo LGBT.

No dia 16 de junho, das 15h às 18h, o East River Bandshell será palco de artistas e palestrantes motivacionais da comunidade LGBT para dar início aos eventos da Pride Week. O evento é gratuito e aberto ao público.

Mais tenham certo que todas as expectativas estão na grande marcha, que ocorre no dia 24, considerada a grande manifestação dos direitos dos gays e do reconhecimento de causas como a luta contra a Aids.

No dia 24/07 a programação será fechada com chave de ouro com a mega festa Dance on the Pier, tendo como inicio às 20h e se estendendo ate às 2h da madrugada, no Píer 57. A festa arrecadará fundos para eventos da NYC’s LGBT Pride Week e organizações das comunidades envolvidas como já é de praxe.

Já no país do futebol, mais miscigenado e que leva o título de realizar a maior parada Gay do mundo, acontece em SP, as atividades em alusão a luta pela igualdade de direitos, da população LGBT, a programação teve inicio este ano dia 09/05 e seguirá ate o dia 10/06, dia em que acontece o maior evento de massa Gay do mundo, a parada do Orgulho LGBT de São Paulo, que este ano realiza sua 16ª edição.

O evento levou a Avenida Paulista ano passado mais de 4 milhões de pessoas, segundo a organização do evento. A movimentação gerada atrai as atenções e estimula a oferta de programas “ culturais, educativos, lazer, cursos entre outros” ao público GLS e a curiosos, que buscam diversão no meio do movimento social, além, é claro, de estimular o turismo na Capital e geração de renda a cidade de São Paulo, o evento só perde em arrecadação aos cofres públicos para a Fórmula 1, “segundo o balanço de lucros da prefeitura e governo do estado de São Paulo.

Casas noturnas, bares e restaurantes que atendem ao público ganham destaque na agenda cultural, através do portal oficial do evento: www.paradasp.org.br , é possível acompanhar a programação e conhecer todos os estabelecimentos gay friendly.

Não esquecendo que dia 08/06 o Blog DIVERSIDADE desembarca em Sampa, para acompanhar os três últimos dias deste mega evento, e trazer muitas novidades em babados quentíssimos e fortes da noite paulistana, na companhia do Colunista Crítico do Blog – Dino Alves e do Colunista Social Flávio Cansanção.

Também estará presente nesta trupe a Drag Queen  Oficial da Parada do Orgulho LGBT de Maceió – edição 2011 – Melyna Starr Ryos,   que estará lá representando o estado de Alagoas no Concurso Brazilian Drag dia 09/06, o evento acontecerá em uma luxuosíssima e badalada casa Gay de SP.

Melyna foi a drag destaque de 2011, concorreu e ganhou as quatro fazes eliminatória do concurso, onde teve seu término no Teatro Gustavo Leite.

>Link  

Por Que é Importante Sair do Armário e se Assumir Gay?
   Blog Diversidade   │       │     21:40  │  6

Se você é um homossexual e não se aceitar como tal, como você vai conseguir aceitar que o outro seja, a você, “igual”?

Por sinal, a “auto-rejeição” é uma das principais  motivações para tanto preconceito e intolerância contra os gays na vida social e, por conseguinte, para que tenhamos uma sociedade cada vez mais desigual!

 

Já a “auto-aceitação” é uma condição essencial para que você possa aceitar não só você, mas todo e qualquer homossexual!

E então… Que tal começar a se aceitar como homossexual? Hein, que tal?

Isso! Isso! Faça isso em nome de uma sociedade menos desigual!

Saia do armário e não esconda de ninguém a sua orientação sexual!

Por sinal, quanto mais gays permanecerem no armário no mundo atual,

mais preconceito e intolerância contra os gays haverá na vida social!

Por isso, sair do armário é o ideal para termos um mundo mais “igual”!

Deixe de lado a ideia do “normal”, do “legal”, do “convencional”…

E saia já deste armário sepulcral que muito te faz mal!

Quanto maior for o número de gays fora do armário, menos a homossexualidade será vista como anormal ou antinatural!

Investigue, descubra, seja ousado, tenha coragem e crie as condições

para assumir a sua verdadeira orientação ou identidade sexual!

Isso! Saia do armário e se assuma homossexual para a sociedade em geral!

Porque, apesar de todas as consequências de se assumir homossexual, o mais importante de tudo é a sua felicidade total e servir de exemplo para os gays que ainda estão no armário no mundo atual!

Saia do armário e contribua, assim, para uma sociedade bem menos desigual

lutando para que haja mais tolerância e respeito pelos gays na vida social!

Por Mário Mendonça

Consultor Jornalitico do Blog

>Link  

Descobri Que Nem “Todos São Iguais Perante a Lei”
   Blog Diversidade   │     25 de maio de 2012   │     17:24  │  1

Todos os dias homossexuais em todo o mundo recorrerem em busca de socorro, para não serem mortos ou denunciam violações de direitos humanos, liberadas em virtude de sua orientação sexual, esta semana um homossexual palestino, que há uma década reside ilegalmente em Israel e corre o risco de ser expulso do país, pediu ao Supremo Tribunal que lhe conceda asilo, por temer ser assassinado devido a sua orientação sexual caso retorne à Cisjordânia, informou nesta sexta-feira a imprensa israelense.

Ele garante que, se for deportado, correrá risco de vida, e diz já ter sido detido e agredido pela polícia palestina por ser gay, o palestino, um muçulmano original de Nablus, no norte da Cisjordânia, recorreu à corte suprema depois de o Ministério do Interior israelense ter rejeitado sua solicitação para obter residência legal, informou nesta sexta-feira a versão digital do diário Yedioth Ahronoth. A rejeição de seu pedido o deixou em uma situação de irregularidade e sob o risco de ser deportado ao território palestino ocupado a qualquer momento.

Arsham Parsi – Ativista LGBT Iraniano, Vivendo atualmente no Canadá, Parsi fugiu do Irã em 2005 quando descobriu que a polícia pretendia prendê-lo por suas atividades em defesa dos homossexuais: “Comecei a organização no Irã através de uma rede de e-mails. Ela foi crescendo e em 2005 recebi ameaças por ser ativista. Eu trabalhava em casa, tinha meu telefone divulgado, e a polícia havia me rastreado. Quando descobri, deixei o Irã em dois dias, e nunca mais voltei.”

Infelizmente a ativista lésbica Noxolo Nogwaza, de 24 anos, não teve a mesma sorte, Noxolo foi encontrada morta em 24/04/11 em um beco localizado em Kwa – Thema Township, África do Sul. A polícia acredita que ela foi estuprada e assassinada.

Nogwaza fazia parte da organização da Parada do Orgulho Gay de Ekurhuleni (EPOC). Os colegas de ONG da ativista declararam que a violência foi tanta que a ativista estava irreconhecível. Também revelaram que todo o seu corpo foi esfaqueado e que, dentro de sua vagina, havia cacos de vidro e camisinha, além de Nogwaza, outros dois integrantes do grupo foram assassinados em circunstâncias similares.

Em 2008, a ativista lésbica Eudy Simelane também foi encontrada em um campo aberto, em Kwa – Thema, estuprada e assassinada.

Os ativistas da EPOC denunciaram o fato de o governo da África do Sul não fazer nada para tentar esclarecer estes assassinatos, que seguem impunes até hoje.

Brasil – Mesmo convivendo em um país “democrático e laico”, a cada dia a homofobia é gritante, só em Alagoas o DISK 100 recebeu este mês mais de 30 denúncias, em todo o pais ate o momento o DISK contabilizou 687 denuncias, As agressões vão de físicas, morais a assassinatos.

David Kato, activista das alegre-direitas do Ugandan. Kato tinha 46 anos velho. Sua vida tinha sido ameaçada por meses, seu retrato apareceu mesmo na página dianteira de um jornal de direita do Ugandan,  David foi espancado até à morte, em sua casa, nos arredores de Kampala, em 26 de Janeiro 2011.

A visibilidade de David Kato como um homem declaradamente gay e um activista dos direitos das lésbicas, gays, bissexuais e transgéneros levou, compreensivelmente, a especulações, tendo-se dito que foi vítima de um ataque homofóbico fatal.

 

O Fantástico mês passado denunciou o caso de um aluno que se destacou em um curso de formação de drag  queen, quando voltou ao trabalho foi demitido, a demissão do professor deu-se após a reportagem exibida um domingo antes do acontecido no Fantástico.

 

“Sou psicólogo, administrador, professor da área de logística e quase drag.”, Disse ele na reportagem. No dia seguinte, tudo mudou. “Um dos meus chefes, simplesmente chegou para mim e disse que não era condizente com ele, que aquilo não era bom para empresa, não era bom para a imagem”, disse Aílton.

Meso o artigo 7° da Declaração Universal dos Direitos Humanos afirmar que todos são iguais perante a lei e, sem distinção, têm direito a igual proteção da lei e contra qualquer discriminação que viole a presente declaração e contra qualquer incitamento a tal discriminação, mesmo assim Gays, Mulheres, Negros, Idosos, Crianças entre outros civis ainda hoje são massacrados por uma cultura heterossexista e machista, fortalecida por costumes ou doutrinas religiosas que só põe pessoas a margem da desigualdade social.

>Link  

O Amor Que Não Ousa Dizer Seu Nome – Curta foi produzido em São Carlos‏/SP
   Blog Diversidade   │       │     10:05  │  0

Todos os anos, os alunos do último ano do curso da Imagem e Som da UFSCar realizam os trabalhos de conclusão de curso, os TCCs, que podem ser desde filmes a instalações audiovisuais, animações, videodanças, etc. O curta-metragem “O amor que não ousa dizer seu nome” é um dos trabalhos de conclusão de curso que está sendo realizado neste ano de 2012.

“O amor que não ousa dizer seu nome” conta a história de Leila, uma mulher solitária que administra um salão de beleza. Durante a noite, o local é frequentado pelas prostitutas da região, onde se arrumam para o trabalho. Uma das frequentadoras é a transexual Michela. Quando esta sai de casa, Leila a abriga em uma edícula atrás de seu salão. A solidão dessas mulheres é o que as aproxima, e elas passam a se encontrar diariamente e partilhar histórias e frustrações.

Os sentimentos de amor e desejo começam a se confundir, e Leila, ingenuamente, se vê apaixonada por Michela. Após terem uma relação de amor, as duas mulheres confusas resolvem reconstruir sua relação.

O filme foi aprovado na Lei Rouanet e está na fase da captação de recursos. Empresas e pessoas interessadas em apoiar o nosso projeto podem entrar em contato com o produtor.

>Link